Conservação para além das fronteiras, visual do Monte Roraima, entre Brasil, Venezuela e Guiana_Izabel Reigada_WikiParques

Conservação para além das fronteiras, visual do Monte Roraima, entre Brasil, Venezuela e Guiana. Foto: Izabel Reigada/WikiParques


As belezas naturais não conhecem limites geográficos. E, num país tão grande que é cercado por outros 10, essa zona limítrofe por vezes abriga um parque. O Brasil, afinal de contas, não divide apenas a fronteira com seus vizinhos, mas também áreas de rica biodiversidade que fazem a conservação ser uma bandeira de dupla nacionalidade. O bioma Amazônia é um dos principais exemplos de que a conservação é um assunto para além de qualquer fronteira, já que está presente em nove países sul-americanos. Pensando nisso, o WikiParques preparou uma lista com 5 parques nacionais fronteiriços. Veja a nossa seleção:

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque (AP)

Entrada do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, com sua imensidão de verde. Foto: Charly Sanches/Wikiparques.


Criado em 2002, esta é a maior unidade de conservação do país, além do maior parque de floresta tropical no mundo. Localizado na fronteira do Brasil com o Suriname e a Guiana Francesa, e na divisa entre o Amapá e o Pará, o parque possui uma área total de 3.865.188 hectares. Entre as espécies registradas na unidade estão a onça e a sussuarana; o cuxiu (um raro primata); araras e jacus; beija-flores multicoloridos, como o beija-flor-brilho-de-fogo; e grandes pássaros frugívoros como o anambé-militar, o pássaro-boi e o gainambé. Do lado da Guiana Francesa, essa rica biodiversidade da Floresta Amazônica também é protegida dentro do Parc Amazonien de Guyane (“Parque Amazônico da Guiana”, em tradução livre).

Parque Nacional do Pico da Neblina (AM)

Parna Pico da Neblina_Michell Richard Blind

O Pico da Neblina, símbolo do parque e ponto mais alto do Brasil. Foto: Michell Blind/WikiParques

No extremo norte do Amazonas, na fronteira com a Venezuela, este Parque Nacional protege 2.252.616 hectares de Floresta Amazônica. O nome da unidade é uma referência ao ponto mais alto do Brasil, o Pico da Neblina, com 2.995,30 metros de altitude. O parque protege espécies da fauna como o primata uacari-preto, o galo-da-campina, a anta e o tucano-açu.

Do lado venezuelano, a região ganha pronúncia espanhola, mas a missão de conservação é a mesma no Parque Nacional Serranía de La Neblina. O cinturão de unidades de conservação local fica ainda maior somado com a Floresta Nacional do Amazonas (AM) e o Parque Nacional Parima-Tapirapecó (Venezuela). Juntas, as 4 unidades formam um território de mais de oito milhões de hectares.

Parque Nacional do Monte Roraima (RR)

Parna Monte Roraima_Paolo Baldi_Wikimedia

O imponente Monte Roraima. Foto: Paolo Baldi/Wikimedia

Localizado no extremo norte do estado de Roraima, o Parque Nacional do Monte Roraima situa-se numa região de tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana. A unidade de conservação foi criada em 1989 e possui 116.000 hectares de extensão dentro do bioma amazônico. Seu principal símbolo é o próprio Monte Roraima, com 2.875 metros de altitude, apesar de somente 10% dele estar em território nacional. A maior parte do gigante platô de pedra está em solo venezuelano, onde é protegido pelo Parque Nacional Canaima.

O Monte Roraima é considerado pelos povos indígenas venezuelanos (Pémons) e brasileiros (Ingaricó e Macuxi) como “A Casa de Macunaíma”. Os Pémons o chamam ainda de “Mãe de todas as Águas”.

Parque Nacional da Serra do Divisor (AC)

Serra do Divisor possui ecossistemas raros. Foto: Diego Pérez / Creative Commons

Serra do Divisor possui ecossistemas raros. Foto: Diego Pérez / Creative Commons

O Parque Nacional da Serra do Divisor, no Acre, é o quarto maior parque nacional do Brasil. Com uma área de 837.555 hectares, a unidade faz fronteira com o Peru. Do lado peruano foi criado, em 2015, um parque com o mesmo nome. Ambos se chamam Divisor por causa da localização das áreas protegidas, no trecho que divide as águas entre as bacias hidrográficas do Vale do Médio Rio Ucayali (Peru) e do Alto Rio Juruá. As serras apresentam regiões alagadas, igapós, igarapés e lagos fluviais.

O parque brasileiro tem como atrativos o rio Juruá, um dos principais afluentes do Rio Amazonas, assim como o planalto composto pelas Serras da Jaquirana, do Moa, do Joá-Mirim e Rio Branco. No interior da UC, na margem direita do rio Môa, vive a população indígena Nukini.

Parque Nacional do Iguaçu (PR)

Parna do Iguaçu_Flavia Manente da Silva_WikiParques

As Cataratas, cartão-postal do Parque Nacional do Iguaçu. Foto: Flavia Manente/WikiParques

Criado em 1939, o Parque Nacional do Iguaçu é o segundo parque nacional mais visitado do país. Famosa por ser o lar das Cataratas do Iguaçu, a unidade de conservação foi a primeira a ganhar o título de Patrimônio Natural Mundial conferido pela UNESCO. O cartão-postal, entretanto, não é exclusivamente brasileiro. A segunda nacionalidade das cataratas é argentina, já que o rio Iguaçu, está na fronteira com os “hermanos”, onde é protegido pelo Parque Nacional Iguazú. Na unidade de conservação brasileira, os 185.162 hectares abrigam uma fauna rica com registros de mais de 300 espécies de aves, 50 de mamíferos e mais de 700 de borboletas.

 

 

 

Comentários

comentários