O mountain bike é uma das formas pelas quais é possível conhecer um parque. Foto: Pixabay

O mountain bike é uma das formas pelas quais é possível conhecer um parque. Foto: Pixabay


Se pedalar requer fôlego, pedalar pelos caminhos e trilhas das unidades de conservação brasileiras, então, é literalmente de tirar o fôlego. Seja sob o dossel da floresta, na altitude das montanhas, nos campos abertos do Cerrado ou na areia das praias, todas as paisagens são de tirar o chapéu, ou melhor, o capacete.

Diversas unidades permitem que seus visitantes as explorem em cima de uma bicicleta. O ciclismo é uma forma diferente de vivenciar os caminhos dos parques. Portanto, aos apaixonados pela natureza e pela bike: mãos no guidão, pés nos pedais e olhos atentos para apreciar a paisagem!

Eis 5 parques para conhecer de bicicleta:

Parque Nacional da Tijuca (RJ)

Circuito de mountain bike no Parque Nacional da Tijuca. Peterson de Almeida /WikiParques

Circuito de mountain bike no Parque Nacional da Tijuca. Peterson de Almeida /WikiParques


O Parque Nacional é um dos lugares favoritos para os ciclistas cariocas que querem treinar as pernas montanha acima. Além dos percursos no asfalto que sobem pela Estrada do Corcovado, o parque também oferece duas trilhas para os que gostam de um pouco mais de adrenalina. A prática do mountain bike começou em 2014 por lá e já existem dois trajetos dedicados ao esporte: o Circuito do Açude, considerado de nível médio, e o Circuito da Lagartixa, com alto grau de dificuldade.

Parque Nacional de Brasília (DF)

Foto: Jorge Cardoso/MMA

Passeio de bicicleta pelo Parque Nacional de Brasília. Foto: Jorge Cardoso/MMA


O Parque Nacional de Brasília abriu as portas para o ciclismo há pouco mais de um ano. O circuito oferecido aos amantes das duas rodas, entretanto, já nasceu com cenário privilegiado. São 15 quilômetros de extensão que levam os ciclistas pelas paisagens vastas do Cerrado. O trajeto ainda conta com duchas para refrescar as cabeças e os capacetes que estiverem sofrendo debaixo do sol do centro-oeste brasileiro.

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (MA)

Desbravar as dunas do Parna dos Lençóis Maranhenses é uma aventura digna dos amantes dos pedais. Foto: divulgação/Agência Espírito de Aventura

Desbravar as dunas do Parna dos Lençóis Maranhenses é uma aventura digna dos amantes dos pedais. Foto: divulgação/Agência Espírito de Aventura


As dunas da unidade podem não parecer o solo mais adequado para uma bicicleta, m. Mas vencer a areia e as subidas com o pé no pedal é uma aventura que vale a pena. Ainda mais quando você percebe a paisagem ao redor. A melhor época do ano para fazer essa travessia de bike é de janeiro a junho, quando chove mais e a areia fica mais compacta e facilita a pedalada. Além disso, com as chuvas, as famosas lagoas que compõem o clássico cartão-postal maranhense aparecem em toda sua glória. Motivo de sobra para conhecer (e pedalar!).

Parque Nacional da Serra do Cipó (MG)

Lapinha, um dos atrativos do Parna da Serra do Cipó, que pode ser explorado de bike. Foto: Jean Carlos/WikiParques

Lapinha, um dos atrativos do Parna da Serra do Cipó, que pode ser explorado de bike. Foto: Jean Carlos/WikiParques


O Parque Nacional da Serra do Cipó possui mais de 30 mil hectares de extensão e ajuda a proteger as belezas do Cerrado mineiro. Para quem quiser conhecer esse patrimônio natural em cima de uma magrela, várias trilhas do parque podem ser feitas de bike. São elas: o Circuito das Lagoas (4 km, distância de ida e volta), Bambuzal (4,5 km), Córrego das Pedras (8 km), Cachoeira das Andorinhas (14 km), Cachoeira do Gavião (14 km), Cachoeira da Farofa (16 km) e Cânion das Bandeirinhas (24 km). Não faltam opções para todos os gostos e fôlegos, pé no pedal!

Parque Nacional do Itatiaia (RJ)

O Parque Nacional do Itatiaia é um verdadeiro desafio nas alturas para os ciclistas. Foto: Lucas Rimis/WikiParques

O Parque Nacional do Itatiaia é um verdadeiro desafio nas alturas para os ciclistas. Foto: Lucas Rimis/WikiParques

 

O Parque Nacional do Itatiaia está localizado entre as montanhas da Serra da Mantiqueira. O cenário de Mata Atlântica nas alturas inspira muitos ciclistas a encarar com disposição as subidas penosas, que passam dos 2.000 metros de altitude. O visual lá em cima, entretanto, é a recompensa de todo o esforço gasto no pedal. O ciclismo no parque é permitido apenas nas estradas, tanto na Parte Alta quanto na Parte Baixa.

Sentiu falta de algum parque que você gosta de pedalar? Deixe nos comentários seu parque preferido para desbravar de bicicleta!

 

 

 

Comentários

comentários