A exibição Cenários e Riquezas do Cerrado de Guimarães Rosa tem 15 fotos que mostram a flora, a fauna e as peculiaridades do Cerrado numa forma de apresentar ao visitante a riqueza do bioma. Foto: Senado Federal

A exibição Cenários e Riquezas do Cerrado de Guimarães Rosa tem 15 fotos que mostram a flora, a fauna e as peculiaridades do Cerrado numa forma de apresentar ao visitante a riqueza do bioma. Foto: Senado Federal


WWF-Brasil e o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu (MG) lançaram nesta segunda-feira, em Brasília, Dia do Cerrado (11/09), a exposição Cenários e Riquezas do Cerrado de Guimarães Rosa.  A exibição tem 15 fotos que mostram a flora, a fauna e as peculiaridades do Cerrado numa forma de apresentar ao visitante a riqueza do bioma e chamar atenção para necessidade de um modelo de produção mais sustentável, que promova o desenvolvimento com maior inclusão social e distribuição de renda, ao mesmo tempo que conserve o meio ambiente.

O Cerrado ocupa ¼ do país, abriga 5% de todas espécies no mundo e 30% da biodiversidade nacional. Entretanto, já perdeu mais da metade de sua cobertura vegetal e o processo de devastação continua acelerado. Entre 2013 e 2015, o bioma perdeu 18.962,45 kmde área, ou seja, mais de três vezes o tamanho do Distrito Federal devastado em um período de dois anos, segundo os dados recém disponibilizados pelo Ministério do Meio Ambiente. O que significa também que dos biomas brasileiros, o Cerrado é o que registra o maior ritmo de desmatamento, sendo duas vezes maior que o na Amazônia.

Após seu lançamento no auditório da Livraria Cultura do CasaPark, a exposição segue para o Centro de Convenções Ulisses Guimarães, onde será exibida aos mais de 5 mil participantes do Congresso Brasileiro e Latinoamericano de Agroecologia, até o dia 15/09. O destino próximo é o Centro de Excelência Cerratenses, no Jardim Botânico, ficando aberta para visitação do público até 15/10.

*Com informações da WWF

 

 

 

Comentários

comentários