Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Foto: Juliana Cruz

Um grupo de especialistas une esforços para que o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (PE) conquiste o selo de Geoparque, título concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que poderá trazer diversos benefícios para o arquipélago. Um Geoparque é uma área com limites bem definidos, que une proteção do patrimônio geológico e desenvolvimento sustentável, mediante iniciativas educativas e sustentáveis. E que também busca estimular geração de emprego e renda para as comunidades locais, por meio da valorização da sua história e cultura.

Dentre as principais vantagens que o arquipélago terá ao receber o título de Geoparque, está a possibilidade de atrair recursos internacionais para a realização de projetos, programas e adequação de infraestrutura. Para conceder o título, a Unesco exige que a área atenda a características como: biodiversidade, paisagem, geodiversidade (isto é, grande número de geossítios, lugares ou pontos de interesses geológicos), infraestrutura turística e envolvimento da comunidade. Atualmente, existem no mundo 120 Geoparques, distribuídos em 32 países. A China detém 33 deles. O Brasil, apenas um, o Geoparque Araripe (Araripe Geopark), localizado no Ceará.

Em 2013 foi criado um Grupo de Trabalho para estudar as diretrizes para a conquista do selo da Unesco. O grupo é formado por representantes do Projeto Golfinho Rotador, Projeto Tamar, ICMBio, Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entre outros.

Com 43 geossítios (26 terrestres e 17 submersos), Noronha reúne quase todas as características. Ainda falta um maior envolvimento comunitário. O envio do dossiê para a Unesco só será realizado quando a comunidade aprovar a ideia. Para isto, uma das estratégias do Grupo é a ‘Semana de Geologia’, um evento que promoveria uma série de atividades na ilha voltadas para a conscientização dos moradores sobre a importância do selo de Geoparque.

 

*Com informações da Comunicação ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários