Parna Monte Roraima_Izabel Reigada

Visual no Parque Nacional de Monte Roraima, uma das novas UCs a receberem apoio do ARPA. Foto: Izabel Reigada/WikiParques


Nesta quinta-feira (10/08), o Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), anunciou que irá apoiar três novas unidades de conservação: o Parque Nacional do Monte Roraima (RR), o Parque Nacional Pacaás Novos (RO) e a Reserva Biológica do Guaporé (RO). Dois dias antes (08/08), o programa comemorou 15 anos de existência e, com esta decisão, ele celebra o aniversário em grande estilo: ultrapassou a meta de apoiar 60 milhões de hectares em unidades de conservação. Com as novas unidades são agora 60,7 milhões de hectares protegidos dentro do bioma Amazônia, distribuídos em 117 unidades.

A ampliação foi decidida pelo Comitê do ARPA, que é formado pelo Ministério do Meio Ambiente, sociedade civil, doadores e gestores dos órgãos ambientais. O programa do governo federal dá suporte financeiro às unidades, custeando a elaboração do Plano de Manejo, as reuniões do Conselho, e também a aquisição de equipamentos para consolidação da proteção ambiental e fiscalização.

O bom exemplo do ARPA pode ainda inspirar outros programas, que atendam as áreas protegidas de outros biomas. É o que acredita o diretor do Departamento de Áreas Protegidas do MMA, Warwick Manfrinato. “Definitivamente, precisamos expandir, até no sentido de transferir a tecnologia para outros biomas, inclusive para umas das regiões que o Brasil precisa proteger que é a região oceânica”, declarou.

Acordo de Cooperação entre Roraima e o Funbio

Outra boa notícia desta quinta-feira (10/08), foi a oficialização do Acordo de Cooperação entre o estado de Roraima e o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) com o objetivo de implementar as ações do ARPA, entre elas com a elaboração dos estudos necessários à criação de seis novas unidades de conservação no estado.

 

*Com informações do Ministério do Meio Ambiente

 

 

 

Comentários

comentários