A inclusão de 10 unidades de conservação no Mosaico, que agora passam a integrar às 15 unidades já existentes, foi aprovada por unanimidade pelo conselho consultivo do Mosaico Sertão Veredas Peruaçi (MSVP). Autor: Andre Dib/WWF


Na última quinta-feira (05/07), a proposta de ampliação do Mosaico Sertão Veredas Peruaçu de 1.8 milhão de hectares para mais de 3 milhões de hectares se tornou realidade. A inclusão de 10 unidades de conservação no Mosaico, que agora passa a somar um total de 25 áreas protegidas, ocorre 3 meses após a proposta ser apresentada para a Câmara Técnica de Gestão Integrada das unidades do Mosaico.

O Conselho Consultivo do Mosaico Sertão Veredas Peruaçu aprovou, por unanimidade, o pedido de ampliação. Esse é um grande passo para o planejamento e execução de ações conjuntas na prevenção ao desmatamento e maior desempenho das ações de conservação de um dos maiores remanescentes de Cerrado.

Um forte fator que influenciou a decisão favorável à ampliação foi um estudo de 2017 que apontou que a região do Mosaico está ocupada com 37% de atividade agropecuária. Outro fator preocupante é o alto índice de queimadas que, somente no último ano, destruíram mais de 600 hectares na Área de Proteção Ambiental Cavernas do Peruaçu (MG), deixando veredas em cinzas, o que retoma o debate sobre a importância da abordagem regional na gestão de unidades de conservação. 

“É uma realidade complexa. E as estratégias de gestão considerando mosaicos de áreas protegidas se mostram atuais e efetivas para uma ação integrada para a proteção de áreas naturais. Estou otimista por ver as instâncias ligadas à governança e gestão dessas unidades de conservação – no caso o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Prefeituras Municipais de Uruana de Minas e de Mambaí, em Goiás, – atuando junto ao Mosaico, pois poderá refletir em um ganho ainda maior na troca de experiências e gestão integrada e participativa”, explica Kolbe Soares, analista de conservação da WWF-Brasil, instituição que participa do Conselho Consultivo.

Veja a lista das unidades que entraram no Mosaico:

Unidade de Conservação Área em hectares
Refúgio Federal de Vida Silvestre do Oeste Baiano (BA) 128.048,99
Área de Proteção Ambiental Federal das Nascentes do Rio Vermelho (GO) 173.324,33
Parque Natural Municipal do Pequi (GO) 2.500,00
Área de Proteção Ambiental Municipal de Uruana de Minas (MG) 30.158,00
Reserva Biológica Estadual Serra Azul (MG) 7.285,00
Reserva Biológica Estadual do Jaíba (MG) 6.358,00
Área de Proteção Ambiental Estadual Lajedão (MG) 12.000,00
Área de Proteção Ambiental Estadual Serra do Sabonetal (MG) 82.500,00
Parque Estadual Verde Grande (MG) 25.570,00
Parque Estadual Lagoa do Cajueiro (MG) 20.500,00

 

Nessa região encontra-se o aquífero Urucuia, um dos maiores reservatórios de água subterrânea do país, o Rio Peruaçu e o Rio Carinhanha, que contribui com 20% da vazão do São Francisco. Autor: Andre Dib/WWF

 

*Com informações da WWF-Brasil

 

 

 

Comentários

comentários