Salto Yucumã, no Parque Estadual do Turvo (RS). Foto: Paola Stumpf

Salto Yucumã, no Parque Estadual do Turvo (RS). Foto: Paola Stumpf/SEMA


Um acordo entre a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) do Rio Grande do Sul permitirá que os visitantes do Parque Estadual do Turvo (RS) contemplem, sem obstruções, o Salto Yucumã. A maior queda d’água horizontal do mundo – 1,8 Km de extensão – estará aberta aos finais de semana e, ao mesmo tempo, continuará a contribuir para a geração de energia elétrica.

Isto porque, na maior parte do tempo, o Salto ficava submerso pela grande quantidade de água do Rio Uruguai escoada pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, em operação desde 2010. O volume de água prejudicava a visibilidade do atrativo e o turismo dos dois lados do rio, que divide o Parque Estadual do Turvo e o Parque Provincial Moconá, na Argentina. 

Por isso, através da Resolução n° 04, de 17 de janeiro de 2018, a ANA estabeleceu novas regras de operação para a usina determinando que, em períodos de pouca chuva que caracterizam baixas vazões, a descarga deverá ser igual ou inferior a 1 mil m³ de água por segundo entre o meio-dia de sexta-feira e o meio-dia de domingo. 

A usina será responsável por informar a Sema sobre as condições de operação para o final de semana. Em caso de altas vazões que inviabilizem a visualização do Salto, haverá um aviso para que os turistas possam ter a opção de reprogramar a visita à unidade de conservação.

 

*Com informações da SEMA-RS

 

 

 

Comentários

comentários