A criação de áreas protegidas por lei com o objetivo de preservar ambientes naturais foi o reflexo de um princípio de conscientização sobre a importância da natureza. No Brasil, os primeiros parques nacionais começaram a surgir na década de 30, inspirados pelo conceito de national park dos Estados Unidos. Os três primeiros parques do país foram delimitados em áreas remanescentes de Mata Atlântica, bioma extremamente desmatado pelo avanço da colonização e pelo crescimento das cidades na região centro-sul do país. Essas áreas pioneiras em conservação inspiraram, pouco a pouco, a criação de outras com o mesmo objetivo espalhadas Brasil adentro, em todos os biomas.

Para destacar essas primeiras unidades de conservação, criadas em um momento em que a sensibilização para causa ambiental era ainda um pequeno embrião, o WikiParques fez uma lista com os seis parques mais antigos do Brasil. Veja:

1. Parque Nacional do Itatiaia (RJ) [14 de junho de 1937]

Parque Nacional do Itatiaia. Foto: Lucas Rimis

O avô de todos os parques nacionais e unidades de conservação do país. O Parque Nacional do Itatiaia foi a primeira área protegida do Brasil, quando a conservação ainda engatinhava no país. O parque possui 28 mil hectares de extensão que protegem um importante fragmento remanescente da Mata Atlântica. Dentro da área da unidade estão alguns ícones do montanhismo, como o Pico das Agulhas Negras e o Maciço das Prateleiras. Em 2017, o parque irá completar seu 80º aniversário – com “rostinho de 20”, de quem está super bem conservado.

2. Parque Nacional do Iguaçu (PR) [10 de janeiro de 1939]

Um belo arco íris nas Cataratas do Iguaçu. Foto: Nilmara Silva

Um belo arco íris nas Cataratas do Iguaçu. Foto: Nilmara Silva

Parque Nacional do Iguaçu é, até hoje, uma das referências em parques no Brasil. É o lar das famosas Cataratas do Iguaçu, consideradas Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco. Seu território de 185.162 hectares representa a primeira grande área protegida do Brasil. Além de proteger as cataratas, o parque representa um importante remanescente de Mata Atlântica que abriga espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada.

3. Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ) [30 de novembro de 1939]

Pico do Açú, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Foto: Wander Rocha

Pico do Açú, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Foto: Wander Rocha

Terceiro na linhagem dos parques brasileiros, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos foi criado em novembro de 1939. São 10.527 hectares que abrangem a serra que dá nome ao parque. O parque, aliás, é outro dos favoritos entre montanhistas, que fazem a travessia pela serra que inclui atrativos como o Dedo de Deus e a Pedra do Sino.

4. Parque Nacional de Ubajara (CE) [30 de abril de 1959]

Gruta de Ubajara. Parque Nacional de Ubajara.Foto: Aldízio Filho

Gruta de Ubajara. Parque Nacional de Ubajara.Foto: Aldízio Filho

O Parque Nacional de Ubajara foi a primeira área protegida destinada a preservar a Caatinga. O parque de 6.288 hectares de extensão é conhecido como o oásis do sertão cearense, por abrigar grutas, rios e cachoeiras que contrastam com a aridez típica da Caatinga. Dentro da unidade já foram registrados 127 espécies de aves, que correspondem a cerca de 20% de toda avifauna do bioma.

5. Parque Nacional de Aparados da Serra (SC) [17 de dezembro de 1959]

Parque Nacional de Aparados da Serra. Foto: Carla Cassi

Parque Nacional de Aparados da Serra. Foto: Carla Cassi

Localizado na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no sul do país,  o parque protege 13 mil hectares de Mata Atlântica e é o lar de espécies ameaçadas de extinção, como o papagaio-de-peito-roxo e o lobo guará. A região do Parque Nacional de Aparados da Serra é conhecida pelos seus cânions. O mais famoso deles, Itaimbezinho, possui profundidade de 700 metros e uma história que remonta ao próprio processo de formação dos continentes.

6. Parque Nacional do Araguaia (TO) [31 de dezembro de 1959]

Registro do Rio Javaé, um dos braços do Araguaia que banha a Ilha do Bananal. Foto: Wikimedia

Registro do Rio Javaé, um dos braços do Araguaia que banha a Ilha do Bananal. Foto: Wikimedia

O Parque Nacional do Araguaia foi a primeira unidade de conservação do Cerrado e também a maior unidade da época, com 557.714 hectares de extensão. Localizado no Tocantins, o parque protege a Ilha do Bananal que é banhada por afluentes do Rio Araguaia. A rica biodiversidade da unidade é composta por uma fauna e flora que mistura espécies típicas do Cerrado e outras típicas da Amazônia, já que o parque está situado em uma zona de transição entre os biomas.

 

 

 

Comentários

comentários