O Pico da Neblina de volta ao circuito turístico. Foto: ICMBio/Acervo


O Pico da Neblina possuía o status de inacessível entre os montanhistas. Não pelos seus intimidadores 2.995 metros de altura, mas porque o acesso ao cume estava suspenso desde 2003 por um impasse com os indígenas. Na última sexta-feira (11/05), entretanto, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) publicou a Portaria nº 458/2018 que aprova o Plano de Visitação Yaripo no Parque Nacional do Pico da Neblina (AM). O decreto é um passo essencial para abertura da unidade de conservação – e do pico – ao turismo.

Na língua yanomami, Yaripo significa “serra dos ventos” e é assim que os indígenas dessa etnia se referem ao Pico da Neblina, que é uma montanha sagrada para eles. Em julho de 2017, o parque recebeu uma expedição comemorativa do ICMBio, evento que já acenava com a gradual reabertura da unidade de conservação aos visitantes e mostrava os resultados do diálogo entre o parque e as comunidades e associações yanomami.

Os detalhes do Plano de Visitação ainda serão divulgados pelo ICMBio, mas a expectativa é de que o turismo possa ser consolidado na região e se torne, inclusive, uma opção para geração de renda para os yanomamis e para o município de São Gabriel da Cachoeira, no alto rio Negro, por onde se tem acesso ao Pico da Neblina.

 

 

 

Comentários

comentários