Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela (RJ). Foto: André Corrêa/Deputado Estadual

Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela (RJ). Foto: André Corrêa/Deputado Estadual


A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou nesta terça-feira (05/12), a redação final do projeto de lei que cria o Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela (RJ). A nova unidade de conservação de proteção integral ocupará 4,4 mil hectares de Mata Atlântica, o que completará o importante corredor de biodiversidade entre a Área de Proteção Ambiental da Região Serrana de Petrópolis (RJ), na Região Serrana, e a Reserva Biológica do Tinguá (RJ), na Baixada Fluminense.

O projeto de lei deverá ser sancionado pelo Governo estadual em breve. Após uma série de audiências públicas expressivas, o autor do projeto, deputado Carlos Minc, está confiante na criação do refúgio. “A nova unidade de conservação será um avanço considerável na proteção da Mata Atlântica e de mananciais de rios. (…) Estamos falando de extensa área de Mata Atlântica que irá compor um corredor verde de rica biodiversidade, estimulando não só a preservação, mas o turismo sustentável”, diz.

Esse tipo de unidade de preservação permite a promoção de iniciativas de visitação, recreação, educação ambiental e pesquisa científica, estimulando, assim, o desenvolvimento do turismo em bases sustentáveis.

Com a sanção da lei, o Poder Executivo deverá elaborar plano de manejo da nova unidade de conservação. O Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela contará com Conselho Consultivo, presidido pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e constituído por representantes de órgãos públicos, de organizações da sociedade civil e por proprietários de terras da região.

 

*Com informaçõesda Inea

 

 

 

Comentários

comentários