Reserva Biológica de Maicuru

Edição feita às 17h12min de 1 de setembro de 2017 por Paulo André Vieira (disc | contribs)

(dif) ← Edição anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

A Reserva Biológica Maicuru está localizada no Estado do Pará com mais de 1 milhão de hectares. Seu objetivo é preservar os ecossistemas naturais existentes e contribuir para a manutenção dos serviços ambientais e recargas de aqüíferos, possibilitando a realização de pesquisas científicas, o desenvolvimento de atividades controladas de educação ambiental.



Reserva Biológica de Maicuru
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Para
Município: Almeirim (PA), Laranjal do Jari (AP), Monte Alegre (PA)
Categoria: Reserva Biológica
Bioma: Amazônia
Área: 1173162,77
Diploma legal de criação: Decreto nº 2610/2006, de 04/12/2006
Coordenação regional / Vinculação: Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará
Contatos: Endereço: Av. João Paulo II, s/n. Parque Estadual do Utinga - Curió-Utinga - Belém/PA - CEP: 66.610-770

Telefone: (91) 3184-3636

Índice

Localização

Está localizada no Estado do Pará, abrangendo os municípios de Almeirim e Monte Alegre. Faz parte do mosaico de Unidades de Conservação localizado numa região conhecida como Calha Norte do rio Amazonas.

Como chegar

O acesso à REBIO é, atualmente, apenas aéreo, por meio de pistas de pouso para pequenos aviões em quatro áreas de garimpo na porção centro-sul da UC, além de outra pista na porção centro-norte.

Ingressos

Não está aberta à visitação.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

O Objetivo desta unidade é de preservar os ecossistemas naturais existentes e contribuir para a manutenção dos serviços ambientais e recargas de aqüíferos, possibilitando a realização de pesquisas científicas, o desenvolvimento de atividades controladas de educação ambiental, bem como a preservação integral da biota e dos demais atributos naturais existentes em seus limites, sem interferência humana direta ou modificações ambientais, excetuando-se as medidas de recuperação de seus ecossistemas alterados e as ações de manejo necessárias para recuperar e preservar o equilíbrio natural, a diversidade biológica e os processos ecológicos naturais, conforme dispuser o plano de manejo da unidade de conservação.

Histórico

Em dezembro de 2006, o Governo do Estado do Pará criou cinco Unidades de Conservação (UC) na região conhecida como Calha Norte (do Rio Amazonas): as Florestas Estaduais (FLOTA) de Faro, Trombetas e Paru, a Estação Ecológica (ESEC) do Grão Pará e a Reserva Biológica (REBIO) Maicuru. Estas UC representam mais de 12 milhões de hectares de áreas protegidas no bioma Amazônia.

Em 2007, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA/PA) celebrou um Termo de Cooperação Técnica com o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (IDEFLOR), o Instituto do Homem e Meio Ambiente (IMAZON), a Conservação Internacional (CI) e a Agência de Cooperação Técnica Alemã (GTZ). Juntas, essas instituições vêm desenvolvendo ações estratégicas que visam a implementação destas UC, sendo a elaboração do Plano de Manejo da REBIO uma destas ações.

Atrações

Aspectos naturais

Solo

A REBIO apresenta três tipos de solos predominantes: argissolo vermelho amarelo, latossolo vermelho amarelo, neossolos litólicos. O solo com maior abrangência é o argilossolo vermelho amarelo, que ocupa uma área de 816.373,9ha (71% da área da REBIO). Em seguida está o latossolo vermelho amarelo, com 301.820,2ha (26%), e o neossolo litólico, que ocupa 32.963,2ha (3%).

Hidrologia

REBIO está localizada em duas sub-regiões hidrográficas pertencentes à bacia Amazônica: Paru-Jari e Cuminapanema-Maicuru. A bacia Paru-Jari é formada pelos rios Itapecuru, Ipitinga, Careparu, Paru e Jarí, compreendendo quase a totalidade da REBIO. Já ao sul, encontra-se a bacia Cuminapanema-Maicuru, formada pelas bacias dos rios Maicurú, Curuá, Mamiá, Cuminapanema e Jauaru. Esta UC abriga nascentes de importantes rios e igarapés, sendo os principais:  Paru, Jari, Maicuru, Ipitinga, Mopeco; e os igarapés Paruzinho e Muriuá. Todos os corpos d’água da REBIO somam uma extensão de aproximadamente 3,7 mil quilômetros.

Relevo e clima

Relevo

Esta UC está localizada na região geomorfológica da Amazônia Setentrional, que é composta por oito unidades de relevo, das quais duas são encontradas na REBIO: Depressão da Amazônia Setentrional e Planaltos Residuais do Norte da Amazônia. A REBIO Maicuru é caracterizada por planaltos de altitudes que variam de 150 a 700 metros, sendo que a maioria da área (85%) concentra altitudes inferiores a 400 metros.

A REBIO apresenta seis unidades geomorfológicas. A maior parte (63%) é constituída pelo relevo dissecado de topo convexo, que totaliza 728 mil hectares. Em seguida, aparecem o relevo dissecado de topo aguçado (31%), relevo dissecado estrutural (2%) e o relevo dissecado do topo tabular (2%). Por último, com menor representatividade, estão: pediplano degradado inumado e terraço fluvial, somando 2%.

Clima

A REBIO Maicuru está inserida na faixa de clima tropical subtipo de monção (Am) que apresenta temperaturas entre 18° e 30°C a maior parte do ano, além de elevada umidade e alta precipitação.

O clima tropical de monção apresenta estação seca moderada, com meses com valor de precipitação média inferior a 60 mm.

O volume de precipitação média na região da REBIO varia de 2.300 a 2.800mm, com o período mais chuvoso se iniciando em dezembro e com duração de sete meses. A partir de julho ocorre uma diminuição nas chuvas, com precipitação que varia entre 50 e 150mm.

Fauna e flora

Fauna

Foram registradas 88 espécies de peixes, 31 de anfíbios e 34 de répteis na REBIO Maicuru. Na herpetofauna, uma espécie de perereca foi registrada pela primeira vez no Brasil (Phrynohyas hadroceps) e outra pela primeira vez no Pará (Scinax garbei). Entre as aves, 302 espécies foram registradas para a REBIO. Entre elas, o uoiraçu-falso (Morphnus guianensis) integra a lista da IUCN como espécie vulnerável. Trinta e três espécies de mamíferos foram registradas na REBIO Maicuru, sendo que 3 delas estão em listas oficiais de espécies ameaçadas de extinção – onça pintada (Panthera onca), suçuarana (Puma concolor), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla).

Flora

Foram registradas 88 espécies de pteridófitas e 306 de fanerógamas. Neste último grupo, das angiospermas conhecidas como existentes na REBIO, 6 estão na lista de espécies ameaçadas de extinção no Pará – por exemplo, o acapu (Vouacapoua americana), e 4 são consideradas ameaçadas pela IUCN.

Problemas e ameaças

Fontes

http://ideflorbio.pa.gov.br/unidades-de-conservacao/regiao-administrativa-calha-norte-iii/reserva-biologica-maicuru/

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=1033