APA DA BACIA DO RIO SÃO BARTOLOMEU

A APA Bacia do Rio São Bartolomeu se localiza no centro-leste do Distrito Federal entre as coordenadas 15°30' S e 16°01' S e 47°30' O e 47°52' O (CÂMARA, 1993). Ela foi criada para assegurar a capacidade e a qualidade dos recursos hídricos dos ecossistemas ao redor da capital federal, garantindo, assim, o abastecimento da região.



APA DA BACIA DO RIO SÃO BARTOLOMEU
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Distrito Federal
Município: Brasília
Categoria: Área de Proteção Ambiental
Bioma: Cerrado
Área: 82.680,80 hectares
Diploma legal de criação: Decreto nº 88.940 de 7 de novembro de 1983
Coordenação regional / Vinculação: CR10 - Goiânia/GO
Contatos:

Índice

Localização

A APA Bacia do Rio São Bartolomeu se localiza no centro-leste do Distrito Federal entre as coordenadas 15°30' S e 16°01' S e 47°30' O e 47°52' O (CÂMARA, 1993)

Como chegar

Partindo da rodoviária do plano piloto em Brasília - DF siga no sentido leste em direção à Ponte Juscelino Kubitschek até o Lago Sul. Depois, siga pela DF-025 (EPDB) até o cruzamento com a DF-001 (EPCT). Siga por esta estrada até o cruzamento com a Estrada São Bartolomeu no Altiplano Leste. Em seguida, vire à direita na Rua 12 e depois à esquerda na Rua 13 e siga até o fim da rua. O restante do trajeto deve ser feito a pé até a margem do Rio São Bartolomeu.

Ingressos

Respeitando-se a legislação vigente e as área particulares, o acesso às áreas da APA são permitidos à população.

Onde ficar

Os turistas que desejam visitar esta unidade de conservação e suas atrações turísticas podem se hospedar em Brasília ou outras cidades próximas.

Objetivos específicos da unidade

Segundo o decreto de criação, 88.940/1983, a criação da APA da bacia do Rio São Bartolomeu tem como “objetivo principal proporcionar o bem-estar futuro das populações do Distrito Federal e de parte do Estado de Goiás, bem como assegurar condições ecológicas satisfatórias às represas da região. Criada pela questão do abastecimento hídrico.”. Ou seja, a APA da bacia do Rio São Bartolomeu foi criada para assegurar a capacidade e a qualidade dos recursos hídricos dos ecossistemas ao redor da capital federal, garantindo, assim, o abastecimento da região.

Histórico

A APA da bacia do Rio São Bartolomeu foi criada pelo professor Paulo Nogueira Neto em 7 de Novembro de 1983 por meio do decreto nº 88.940. Em 12 de janeiro de 1996 a Lei nº 9.262 designa a administração da APA para o Distrito Federal. Em 11 de julho de 1996 a Lei nº 1.149 Dispõe sobre o rezoneamento ambiental da Área de Proteção Ambiental da bacia do rio São Bartolomeu.

Atrações

De acordo com CÂMARA (1993) as atrações mais populares da unidade de conservação em questão são:

1. Pedra Fundamental: Monumento em concreto em forma de pirâmide formada por trinta e três pedras, possuindo uma placa comemorativa de bronze em uma das faces. A pedra fundamental se localiza no Morro Centenário entre os Rios São Bartolomeu e Sobradinho. Possui uma estrutura básica para visitação composta por um estacionamento, uma praça com piso de cascalho e bancos de cimento.

2. Morro da Capelinha: Localiza-se no morro ao sul de Planaltina próximo ao "Vale do Amanhecer". Esta localidade é muito procurada durante a Semana Santa por ter a tradição de apresentações teatrais da "Paixão de Cristo".

3. Cachoeira do Pipiripau: Localiza-se na confluência do Ribeirão Pipiripau com o córrego Capão Grande. Não possui infra-estrutura construída, mas apresenta área propícia à realização de piqueniques e campings.

4. Salto do Sobradinho: Localiza-se na confluência do Ribeirão Sobradinho com o córrego Capão da Erva. Atração muito apreciada por turistas nos finais de semana. Possui relevante beleza cênica, mas, infelizmente encontra-se em má estado de conservação com muitos resíduos poluentes da cidade de Sobradinho.

5. Lagoa Bonita: Localiza-se próxima à Planaltina e pode ser acessada pela rodovia DF-130. Como o próprio nome já sugere, esta atração possui uma grande beleza cênica o que atrai diversos turistas para a área mesmo esta tendo o acesso restrito.

6. Caverna dos Volks Club: A caverna é formada por um afloramento calcáreo próximo ao córrego do Ribeirão Taboca. Atrai espeleólogos e turistas esporadicamente. A ocupação da área compromete seu seriamente seu estado de conservação e beleza.

7. Barragem do Paranoá Este local é rodeado por encostas com declividade acentuada e vegetação árborea com aspecto primitivo, além disso desse local é possível observar o lago Paranoá o que garante relevante beleza cênica à região. A barragem pode ser acessada pela Estrada Parque do Paranoá.

Aspectos naturais

Segundo informações do site SEMARH de dez./2001. É a maior APA do Distrito Federal e desempenha um importante papel de corredor de ligação entre a Estação Ecológica de Águas Emendadas, APA de Cafuringa, APA do Lago Paranoá e APA das bacias do Gama e Cabeça-de-Veado, reunindo todos os tipos de vegetação, desde o Cerradão até os Campos Rupestres.

Relevo e clima

O relevo é composto de chapadas, com topografia plana e levemente ondulada, entremeados de vales. O principal tipo de solo é o Latossolo. O clima é o mesmo comum a todo o Distrito Federal, conhecido como clima savânico, com um verão quente e úmido e inverno seco. A média de pluviosidade anual está próxima aos 1.600mm, e a temperatura média é de 21ºC.

Fauna e flora

A UC, assim como toda a unidade federal a qual está inserida, encontram-se instaladas no Bioma Cerrado, que define uma fauna específica de mamíferos, aves, herpetofauna, ictiofauna. No DF, segundo o site da Agência Brasília (referência) 21% da fauna ocorrente no Cerrado ocorre no DF. No site do IBRAM, há uma lista mais detalhada das espécies ocorrentes, que podem estar presentes na APA, de acordo com o nível de ocupação desta.

A flora da APA é constituída majoritariamente pela fisionomia Cerrado stricto sensu, apesar de grande parte possuir degradação em nível avançado, devido à grande ocupação urbana no local, com quantidade representativa de número de condomínios habitacionais no DF. Porém, constituem também a flora da APA fitofisionomias como Matas de galeria, Campos, Campos sujos e Cerradão. Foram registradas para área espécies representantes das famílias Anacardiaceae, Annonaceae, Apocynaceae. Arecaceae, Araliaceae, Bignoniaceae, Caryocaraceae, Celastraceae, Chrysobalanaceae, Compositae, Dichapetalaceae, Ebenaceae, Erythroxylaceae, Euphorbiaceae, Guttiferae, Icacinaceae, Lamiaceae, Caesalpinioideae, Faboideae, Mimosoideae, Lythraceae, Magnoliaceae, Malpighiaceae, Malvaceae, Melastomataceae, Myristicaceae, Myrsinaceae, Myrtaceae, Ochnaceae, Piperaceae, Phyllanthaceae, Proteaceae, Rubiaceae, Sapindaceae, Solanaceae, Styracaceae, Urticaceae, Verbenaceae, Vochysiaceae (IBRAM).

Problemas e ameaças

As principais ameaças a essa unidade de conservação são a remoção da vegetação natural devido ao processo de urbanização, incêndios relacionados a atividades humanas, mineração, silvicultura (CÂMARA, 1993). Tais processos ocorrem porque não há um controle e fiscalização das desenvolvidas dentro da unidade de conservação pelos órgão responsáveis, no caso da APA da Bacia do Rio São Bartolomeu estes são: o IBAMA, a Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA), e Secretaria de Obras (SO) e Administrações das cidades-satélites de Sobradinho, Planaltina e Vila São Sebastião (CÂMARA, 1993).

Fontes

__________. APA da Bacia do Rio São Bartolomeu. Disponível em: <https://uc.socioambiental.org/uc/582614>. Acesso em: 14 jun. 2018.

__________, 2012. Fauna do Distrito Federal. Disponível em: <https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2012/01/03/fauna-do-distrito-federal/>. Acesso em: 14 jun. 2018.

__________, 2018. Projeto Fauna - DF. Disponível em: <http://www.ibram.df.gov.br/projeto-fauna-df/>. Acesso em: 14 jun. 2018.

__________, 2018. APA do São Bartolomeu. Disponível em: <http://www.ibram.df.gov.br/apa-do-sao-bartolomeu/>. Acesso em: 14 jun. 2018.

BRASIL. Decreto nº 88.940 de 7 de novembro de 1983. Dispõe sobre a criação das Áreas de Proteção Ambiental das Bacias dos Rios São Bartolomeu e Descoberto, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 09 set. 1983. Seção 1, p. 18881.

CÂMARA, J. B. D. Análise da Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São Bartolomeu como instrumento de Planejamento e Gestão Ambiental. 1993. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Departamento de Ecologia, Universidade de Brasília, Brasília.