Estação Ecológica de Caracaraí




Estação Ecológica de Caracaraí
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Roraima
Município: Caracaraí
Categoria: Estação Ecológica
Bioma: Amazônia
Área: 86.793,92 hectares
Diploma legal de criação: Decreto nº 87.222 de 31 de maio de 1982.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
Contatos: Telefone:

1. (95) 3532-1462 2. (92) 3613-3080 3.(92) 3232-7040 4.(92) 3303-6443 Email: cr.manaus@gmail.com

Índice

Localização

Endereço: AV. Bem Querer 2337 - Centro - Caracaraí/RR CEP: 69.360-000

Localizada no município de Caracaraí, região central do estado de Roraima, a unidade de conservação faz contato em sua porção sudeste com o PARNA do Viruá, porção sudoeste com a ESEC de Niquiá e oeste com a Terra Indígena Yanomami.

Como chegar

O acesso à unidade é feito através da BR-174, de Boa Vista até Caracaraí, percorrendo-se aproximadamente 180 km e através dos rios Branco, Ajarani e demais cursos d´água.

Ingressos

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas.

Histórico

Criada em 1982 a Estação Ecológica de Caracaraí é uma unidade de conservação de proteção integral, com o objetivo preservar bancos genéticos da fauna e flora, bem como os recursos hídricos alí existentes, visto que é um lugar onde há grande frequência de inundações.

O nome da Estação deve-se ao município de Caracaraí, que na língua indígena significa "pequeno gavião".

Atrações

Aspectos naturais

Relevo e clima

A Esec de Caracaraí possui relevo plano.

Há duas estações climáticas bem definidas na unidade de conservação, com o inverno úmido (abril a outubro) e o verão seco (novembro a março).

Fauna e flora

A fauna da Estação Ecológica de Caracaraí abriga espécies como o macaco-aranha (Ateles belzebuth), espécie ameaçada de extinçã.

A vegetação característica é composta de árvores altas, troncos finos e copas pouco desenvolvidas, sendo a sorva (Malouetia dukei), a balata (Manilkara bidentata), a sumaúma (Ceiba pentandra), o buriti (Mauritia flexuosa), a buritirana (Mauritiela Aculeata), o açaí (Euterpe sp.) e algumas orquídeas e bromélias espécies predominantes da região

Problemas e ameaças

O desmatamento, as queimadas e a mineração industrial, são algumas das pressões que mais ameaçam as Unidades de Conservação. Veja abaixo dados atualizados sobre essas pressões nesta UC; para uma visualização comparativa entre as UCs mais desmatadas na Amazônia Legal

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=51

https://uc.socioambiental.org/uc/1592