Floresta Nacional de Chapecó

Fique por dentro das novidades da Floresta Nacional de Chapecó no Blog do WikiParques



Floresta Nacional de Chapecó
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Santa Catarina
Município: Chapecó (SC), Guatambú (SC)
Categoria: Floresta
Bioma: Mata Atlântica
Área: 1.604,35 hectares
Diploma legal de criação: Portaria nº 560 de 25 de outubro de 1968
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade

CR9 – Florianópolis

Contatos:

Gestor: FABIANA BERTONCINI
Endereço: Caixa Postal 1.122
CEP: 89809970
Bairro: Efapi
UF: SC
Cidade: Chapecó
Site:
Telefone: (49) 33910510
E-mail: flonachapeco.sc@icmbio.gov.br

Índice

Localização

A Floresta Nacional de Chapecó localiza-se no oeste do estado de Santa Catarina, nos municípios de Guatambu e Chapecó. A área da UC, de acordo com a restituição aerofotogramétrica realizada no ano de 2006 em escala 1: 10.000, engloba 1.590,60 hectares, dividida em 3 glebas: Gleba I com uma área de 1.287,54 hectares, onde está instalada a sede da FLONA Chapecó, localizada no município de Guatambu; Gleba II, localizada no município de Chapecó, possuindo uma área de 302,62 hectares; e Gleba III com uma área de 4.330 m², situada às margens da Rodovia BR/SC-283, próxima à Gleba I no município de Guatambu. As Glebas I e II estão 17 km distantes entre si, em linha reta e 32 km por acesso rodoviário.

Como chegar

O acesso à sede da FLONA Chapecó é feito por via terrestre, partindo-se do centro de Chapecó e percorrendo-se aproximadamente 6 km por vias municipais e mais 11 km pela rodovia BR/SC-283 (Estrada Chapecó – São Carlos) em direção oeste. O acesso à Gleba II também é feito por via terrestre, partindo-se do centro da cidade de Chapecó por vias municipais e pela SC-480, percorrendo-se aproximadamente 8,5 km e adentrando-se 2 km por estrada secundária não pavimentada de acesso à Linha Monte Alegre, a qual contorna a gleba nas faces sul e oeste.

Ingressos

Situação da visitação: Aberto com autorização especial. Atualmente, a visitação à Unidade está restrita a visitas pré-agendadas para grupos organizados, com objetivo educacional, sendo a visita constituída por uma apresentação sobre a Unidade e o caminhamento em uma trilha.

A visitação pública (recreação, lazer) está suspensa, devido à falta de estrutura adequada. Porém, a visitação com finalidade de estudo, pesquisa e educação ambiental continua sendo realizada, com recebimento dos visitantes e acompanhamento por servidores para participação em palestra e trilha, mediante prévio agendamento.

Período para a visitação: Segunda a Sábado, 08:00 as 17:00

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Promover a conservação de significativos remanescentes da Floresta Ombrófila Mista do oeste do estado de Santa Catarina, a experimentação e o manejo florestal, a geração de conhecimentos, a educação ambiental e o uso múltiplo sustentável dos recursos naturais.

Histórico

Atrações

Aspectos naturais

Relevo e clima

Relevo

A FLONA Chapecó está localizada em área de planalto, mais precisamente na região geomorfológica Planalto das Araucárias. O modelado que representa as duas glebas da FLONA Chapecó é caracterizado por ser de dissecação. Isto porque está associado aos processos de erosão pluvial, fluvial e gravitacional. Nesse sentido, de acordo com as formas dominantes do relevo, os modelados de dissecação que constam nas duas glebas são: na Gleba I – modelado de dissecação em colinas e na Gleba II – modelado de dissecação em outeiros ou morrarias.

Clima

A região em que está situada a FLONA Chapecó enquadra-se, segundo a classificação de Köppen, no tipo climático Cfa, que se caracteriza por ser um clima subtropical, com chuvas bem distribuídas durante o ano e com temperatura média mensal mais quente superior a 22°C. Observa-se ainda, nos registros de dados da Estação Meteorológica de Chapecó (no período de 1976 - 2001), que nos meses de janeiro a temperatura máxima absoluta foi de 35,5ºC e a maior média da temperatura máxima foi de 28,9°C, enquanto que a menor temperatura mínima absoluta ocorreu no mês de julho com -4,4ºC e a média da temperatura mínima foi de 10,4°C. No que se refere ao regime pluvial, os dados da Estação Meteorológica de Chapecó apontam uma precipitação total anual média de 2.007,20 mm (entre os anos de 1981 e 2008), variando entre um máximo de 187,7 mm (janeiro) e um mínimo de 124,5 mm (março).

Fauna e flora

Fauna

A fauna da FLONA Chapecó é representada por 14 espécies de peixes, sendo 12 na Gleba I e 3 na Gleba II destacando-se a presença de espécies indicadoras de qualidade ambiental como o cascudo Pareiorhaphis hystrix e a traíra Hoplias malabaricus; 26 espécies de anfíbios; 10 espécies de répteis (9 espécies de serpentes e uma de lagarto); 19 espécies de mamíferos terrestres não voadores; 14 de quirópteros, destacando-se uma ameaçada de extinção na categoria vulnerável da Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (MMA, 2003), o gato-do-mato-pequeno Leopardus tigrinus; 196 espécies de aves sendo 176 na Gleba I e 157 na Gleba II.

Dentre as espécies de aves registradas, duas encontram-se incluídas na Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (MMA, 2003), o papagaio-de-peito-roxo Amazona vinacea e o pica-pau-de-cara-canela Dryocopus galeatus. Essas duas espécies estão incluídas também como vulneráveis em escala global segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, 2009). A FLONA Chapecó apresenta também grande relevância para a conservação de aves florestais nas escalas estadual e regional, por concentrar várias espécies raras e/ou potencialmente ameaçadas no oeste de Santa Catarina ou no estado como um todo.

Flora

A paisagem atual de ambas as glebas da FLONA Chapecó é marcada pela diversidade de diferentes tipos de vegetação. Em suas áreas destacam-se a dominância das florestas, remanescente de Floresta Ombrófila Mista ou Matas de Araucária, e os plantios homogêneos de araucárias, pínus e eucaliptos. Em seu entorno prevalece um mosaico de formações florestais naturais fragmentadas pelo intenso uso agrícola do solo para lavouras anuais, pastagens e silviculturas.

Na floresta nativa foram registradas 94 espécies nativas da flora, sendo 86 na Gleba I e 57 na Gleba II. As espécies da flora classificadas como ameaçadas de extinção, conforme a Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção (MMA, 2008), estão representadas na FLONA Chapecó pela araucária ou pinheiro-brasileiro Araucaria angustifolia, o xaxim-bugio Dicksonia sellowiana e o sassafrás Ocotea odorifera. Ainda foram registradas duas espécies exóticas: o pínus Pinus sp. e a amoreira Morus sp.

A grande maioria das áreas de floresta nativa remanescente, apesar da exploração madeireira pretérita, se encontra em estado avançado de regeneração.

Problemas e ameaças

Fontes

CNUC

ICMBio

Plano de Manejo: Vol I, Vol II, Resumo Executivo