Monumento Natural das Árvores Fossilizadas



Monumento Natural das Árvores Fossilizadas
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Tocantins
Município: Filadélfia
Categoria: Monumento Natural
Bioma: Cerrado
Área:
Diploma legal de criação: Lei nº 1.179 de 04 de outubro de 2000
Coordenação regional / Vinculação: Coordenadoria de Unidade de Conservação do Instituto Natureza do Tocantins - Naturatins em Palmas.
Contatos: Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins - MNAFTO - (63) 3391-1034 - mnaf@naturatins.to.gov.br

Índice

Localização

A sede do MNAFTO está situada em Bielândia, distrito de Filadélfia, região norte do Estado, a aproximadamente 438 km da Capital, e abrange uma área de 32.067,1000 hectares de cerrado. Sua Zona de Amortecimento engloba parte do município de Babaçulândia. O acesso ocorre através das rodovias TO-010 e a TO-222. Saída para Barra do Ouro Bairro/Setor: Distrito de Bielândia CEP: 77795-000 Filadélfia - TO

Como chegar

O acesso ocorre por via aérea até a cidade de Araguaína (TO) e de lá, por via terrestre pela rodovia (TO 222) até o Distrito de Bielândia, município de Filadélfia onde fica a sede da UC.

Ingressos

A visitação deve ser agendada pelo telefone (63) 3391-1034 ou por esse mesmo e-mail de segunda à sexta em horário comercial. A visitação de campo é guiada, independentemente do objetivo, portanto, existe um guia local para esse fim. A contratação do guia, se necessário, ocorre no agendamento. Os loais de visitação são os dois (02) principais afloramentos de fósseis vegetais entre outros de acordo com o desejo e o objetivo do visitante.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Preservar sítios naturais raros, singulares ou de grande beleza cênica, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais (SNUC, Art. 7º, § 1º)

Histórico

Tocantins abriga um dos maiores registros de flora fossilizada do mundo. Durante muitos anos, esse patrimônio foi explorado de forma irregular por uma empresa mineradora. A empresa Pedra de Fogo Ltda recebeu licença de pesquisa do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) em 1996. Mas, ao invés de pesquisar a riqueza natural da região, a empresa comercializava os fósseis, que são patrimônios da União. Em decorrência disso, a Sociedade Brasileira de Paleontologia (SBP) denunciou a empresa ao Ministério Público do Estado do Tocantins. Com a finalidade de combater a exploração ilegal e proteger os fósseis, o governo do Estado criou o Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins, em 2000.

Atrações

Fazenda Buritirana (Afloramento de Fósseis) Fazenda Andradina (Afloramento de Fósseis) Fazenda Peba (Afloramento de Fósseis) Cachoeira do Genipapo, no município de Babaçulândia

Aspectos naturais

A UC abrange notável diversidade de formações vegetacionais, como o cerradão, o campo cerrado, além das matas de galerias que margeiam os cursos d’água e enclaves de florestas de afinidades amazônicas e matas secas, com uma sequência contínua de interfaces e gradientes ambientais. As rochas do Monumento e de seus arredores são portadoras de notável e abundante material fossilífero, essencialmente representado por restos de plantas ainda pobremente estudados. Grande parte do material é de fósseis de samambaias do gênero Psaronius, que não existe mais. As samambaias pré-históricas eram árvores gigantes, podiam chegar a 30 metros de altura. Algumas de suas folhas ficaram impressas nas rochas da região. Os fósseis foram preservados graças à presença de sílica no ambiente, que infiltrou dentro das plantas e conservou seus formatos.

Relevo e clima

O clima da região é tropical.

Fauna e flora

Flora A cobertura vegetal na unidade se caracteriza pela presença de formações vegetais do Cerrado. Boa parte das áreas de vegetação nativa está em bom estado de conservação, que combina elementos de cerrado, matas de galeria, matas ciliares e matas secas. A região é rica em espécies úteis, com potencial madereiro, alimentício, medicinal, melífero e artesanal. Existem várias espécies de frutas nativas que podem contribuir com o potencial turístico em trilhas ecológicas.

Fauna A área possui um total de 195 espécies de mamíferos ocorreriam no Cerrado, com 18 endemismos. A avifauna teria 837 espécies (729 nidificantes), com 29 endêmicas, enquanto a herpetofauna inclui pelo menos 180 espécies, com um mínimo de 20 endemismos.

Problemas e ameaças

As principais ameaças à unidade de conservação estão ligadas às atividades tradicionais no campo e no uso do rio: a pesca caça predatórias, as queimadas, o desmatamento longe e próximo aos cursos d’água realizados por fazendeiros, além da extração de gesso, brita e carvão.

Fontes

Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins - MNAFTO - http://www.gesto.to.gov.br/uc/44/ Filadélfia - IBGE - http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=170770&search=