Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco



Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Goias
Município: Goianápolis, Nerópolis e Goiânia
Categoria: Parque
Bioma: Cerrado
Área: 2132 hectares
Diploma legal de criação: http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/1991/lei_11471.htm

http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/1992/lei_11878.htm http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/1993/lei_11957.htm http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/2001/lei_13846.htm http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_ordinarias/2007/lei_16135.htm

Coordenação regional / Vinculação: Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Goiás
Contatos: Marcelo Pacheco

marcelo@secima.go.gov.br +55 62 3265 1355

Índice

Localização

Rodovia BR-060/153, Km 127, Goianápolis Goiás Brasil

Como chegar

De transporte individual: Partindo de Goiânia, seguir pela Rodovia Federal BR-060/153 (saída para Brasília) até o Km 127, contornar o retorno voltando na direção de Goiânia (primeiro retorno após o posto da Polícia Rodoviária Federal) e após 500 metros, acessar a entrada do Parque à direita.

De transporte coletivo: Partindo da Goiânia, deve-se pegar o ônibus semi-urbano que faz a linha entre Goiânia e Anápolis. Os ônibus partem da Rodoviária de Goiânia e a parada fica em frente à portaria do Parque, logo após o posto da Polícia Rodoviária Federal.

Ingressos

Entrada gratuita

Onde ficar

Na rede hoteleira de Goiânia.

Objetivos específicos da unidade

O principal objetivo do Parque é a proteção do maior remanescente de Mata Seca da região central do Estado de Goiás. O PEAMP também possui sítios arqueológicos que abrigam vestígios da presença de povos indígenas que viveram na região entre 15 e 5 séculos atrás. O PEAMP ainda protege o Reservatório João Leite, fonte de água para mais de um milhão de pessoas da Região Metropolitana de Goiânia.

Histórico

O Parque é uma unidade de conservação de proteção integral criada em 1992 e conta com uma área de 2.132 hectares. A unidade de conservação também abriga sítios arqueológicos e oferece lazer gratuito e diferenciado para visitantes com trilhas para caminhadas e bikes.

O nome é uma homenagem a Altamiro de Moura Pacheco, médico, escritor, pecuarista e político goiano, antigo proprietário da área que vendeu as terras para a implantação da reserva.

Atrações

Contemplação da natureza, prática de mountain bike e passeio nas Trilha do Peba, Trilha do Quati e Trilha do Lago (abertas ao público de quarta a domingo, inclusive feriados, das 8h às 17h).

Aspectos naturais

Relevo e clima

Fauna e flora

Levantamentos realizados na área do PEAMP registraram a presença de 485 espécies de plantas, pertencentes a 315 gêneros e 97 famílias botânicas. Predominam as espécies de Mata Seca como a aroeira (Myracruodruon urundeuva), as perobas (Aspidosperma spp.), o ipê-branco (Tabebuia roseoalba), o angico-monjolo (Acacia polyphylla), a mamoninha (Dilodrendron bipinnatum) e a paineira (Chorisia speciosa). Há o registro de duas plantas constantes da Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção: gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium) e aroeira-do-sertão (Astronium urundeuva). A vegetação predominante na área é composta por Matas Seca, Mata Ciliar, Mata de Galeria, Cerrado sentido restrito, Cerradão e Capoeira, além de algumas áreas degradadas ocupadas por pastagens.

O Parque também apresenta uma rica fauna de vertebrados, contando com 409 espécies distribuídas em 38 ordens e 117 famílias, e considerando as áreas de entorno, as espécies saltam para 572 em 40 ordens e 123 famílias. A fauna do PEAMP conta com predominância de animais de áreas fechadas (Mata Seca) e abertas (Cerrado). Algumas espécies estão ameaçadas de extinção como o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) e a a suçuarana (Puma concolor).

Problemas e ameaças

Fontes

[1]