Parque Estadual Mata São Francisco

O PE Mata São Francisco apresenta importante remanescente florestal de Mata Atlântica, principalmente por ser uma das poucas Unidades de Conservação existentes na região nordeste do estado do Paraná.



Parque Estadual Mata São Francisco
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Parana
Município: Santa Mariana, Cornélio Procópio
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 832 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual n° 4.333, de 05 de dezembro de 1994.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Ambiental do Paraná
Contatos: Instituto Ambiental do Paraná

Telefone: (41) 3213-3700

Unidade de Conservação do Parque Estadual Mata São Francisco

E-mail: pematasaofrancisco@iap.pr.gov.br

Telefone: (43) 3523-2659

Índice

Localização

O Parque Estadual (PE) Mata São Francisco localiza-se no norte do estado do Paraná, entre os municípios de Santa Mariana e Cornélio Procópio. Ambos municípios se localizam na mesorregião do Norte Pioneiro Paranaense e na microrregião de Cornélio Procópio.

O PE Mata São Francisco dista aproximadamente 410 km de Curitiba, capital do Estado.

Como chegar

Parque está localizado às margens da BR-369, no KM 79, entre os municípios de Cornélio Procópio e Santa Mariana, na região norte do Estado do Paraná. A BR-369 interliga os principais centros urbanos do Norte Central paranaense ao estado de São Paulo. Os principais acessos para o Parque são:


  • Partindo de Curitiba: o acesso é realizado através da BR-376 até Ponta Grossa, PR-151

até Piraí do Sul, PR-090 até Ventania, BR-153 até Ibaiti, PR-435 até Congonhinhas e então PR-160 até Cornélio Procópio.

  • Partindo de Cornélio Procópio: Saindo da cidade pela BR-369 na direção para Santa

Mariana / São Paulo, segue-se por cerca de 7 km. O acesso do Parque está localizado na margem direita da BR.

  • Partindo de Santa Mariana: Saindo da cidade pela BR-369 na direção para Cornélio

Procópio / Londrina, segue-se por cerca de 4,5 km. O acesso do Parque está localizado na margem esquerda da BR.

Ingressos

Não há cobrança de ingresso e a entrada é permitida mediante preenchimento de um cadastro de visitação.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Preservação de ecossistemas de grande relevância ecológica e cênica.

Histórico

O Parque Estadual Mata São Francisco, criado pelo Decreto Nº 4.333, de 5 de dezembro de 1994, com área de 832,5768 hectares, localiza-se nos Municípios e Comarcas de Santa Mariana e Cornélio Procópio, registrado com as matrículas nº 4.489 - Cartório de Registro de Imóveis de Cornélio Procópio e nº 059 – Cartório de Registro de Imóveis de Santa Mariana. Compete ao Instituto Ambiental do Paraná a administração desta Unidade de Conservação, bem como promover a proteção especial a fim de atingir os objetivos do decreto de criação da UC.

De acordo com relatos do atual Gestor do Parque, a área de 832,5768 ha que hoje pertence ao PE Mata São Francisco, localizada nos municípios de Santa Mariana e Cornélio Procópio, até 1997 foi propriedade do coronel Francisco Junqueira, motivo mais plausível para o nome Mata São Francisco.

A partir de 1982, motivada principalmente pela cobrança do Imposto Territorial Rural e pelo alto valor das terras agriculturáveis da região, a família proprietária da Mata São Francisco começou a demonstrar interesse no desmatamento de aproximadamente 80 % da área, parcela permitida pela legislação. Desde então, desencadeou-se um processo de mobilização social para a preservação definitiva da área.

Em 1994, por meio de um processo de Compensação Ambiental por conta do alagamento de terras paranaenses para a construção das Usinas Hidrelétrica Canoas I e II, localizadas respectivamente nos municípios de Itambaracá e Andirá, a então Companhia Energética de São Paulo (CESP), hoje Duke Energie International, adquiriu a área da Mata São Francisco e doou ao Estado do Paraná. Apesar da oficialização da criação do PE Mata São Francisco no dia 5 de dezembro de 1994 pelo Decreto Nº 4.333/94, a propriedade ainda não havia sido transferida oficialmente ao domínio do Estado do Paraná, o que só ocorreu em 6 de novembro de 1997. A partir da oficialidade do PE Mata São Francisco iniciaram-se as obras de infraestrutura e uso público.

Na UC e região não há referências ou registros sobre a existência de sítios arqueológicos, paleontológicos, comunidades quilombolas ou indígenas.

Atrações

Hoje o Parque conta com: portal, recepção, estacionamento, centro de educação ambiental, alojamentos para pesquisadores, quiosques com churrasqueiras, parque infantil, sanitários, casa do Guarda-Parque, trilha interpretativa, pontes, entre outros.

  • Trilha do Parque Estadual Mata São Francisco (1.6 km) - se inicia próxima à casa do Guarda-Parque e atravessa um trecho da Floresta Estacional Semidecidual (FES) do Parque e dois córregos, pontos onde foram construídas pontes de eucalipto tratado para transposição destes cursos d’água. A trilha está manejada e apropriada para caminhada. O percurso leva cerca de 40 minutos.

Aspectos naturais

A área do PE Mata São Francisco insere-se num contexto conservacionista bastante homogêneo: a paisagem altamente fragmentada do bioma Mata Atlântica na região Norte/Norte Pioneiro do estado do Paraná, com os remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual alterados ou destituídos de suas características florísticas e estruturais originais.

O PE Mata São Francisco localiza-se na bacia do Cinzas, a qual se integra ao Comitê de Bacia Hidrográfica do Norte Pioneiro

Relevo e clima

Segundo o mapeamento climático do Brasil produzido pelo IBGE (2002) na escala 1:5.000.000, a região da unidade de conservação (UC) é caracterizada pela ocorrência do clima Tropical do tipo superúmido com estação subseca.

De acordo com IAPAR (2013), a região da UC conta com uma precipitação média anual de 1.200 a 1.400 mm. A área da UC e entorno está localizada em uma das regiões mais quentes do Estado do Paraná, onde ocorrem temperaturas médias anuais nas faixas de 20 a 21° C e de 21 a 22° C .

É mínima a diversidade litológica na área da UC, com ocorrência exclusiva da unidade geológica Formação Serra Geral, do Grupo São Bento. O Grupo São Bento inclui as Formações Pirambóia, Botucatu e Serra Geral, esta constituída por extensos derrames de rochas ígneas, predominando basaltos, de idade jurássica-cretácica.

No contexto regional, a unidade de conservação situa-se a meio percurso entre a borda sul de um amplo planalto dissecado, de relevo suave ondulado, com baixa amplitude topográfica e localmente inclinado em direção à calha do rio Paranapanema. Predominam na região colinas baixas de topos aplainados a convexos, com vertentes longas e retilinizadas, associadas a vales fluviais amplos, em geral retilinizados ou de baixa sinuosidade e com entalhe pouco profundo

Fauna e flora

Localmente (latitude 24° S), a vegetação encontrada no Parque é classificada como Floresta Estacional Semidecidual. A Floresta Estacional Semidecidual está restrita às porções oeste, noroeste e norte do Paraná, correspondendo ao Baixo Iguaçu e parte da bacia do Rio Paraná. A cobertura florestal foi praticamente dizimada, restando poucos remanescentes significativos, como o Parque Nacional do Iguaçu, com 185.262 ha, e o PE Mata São Francisco, com 832,5768 ha.

Devido à fertilidade do solo há uma diversidade no estrato superior desta vegetação, ocorrendo as seguintes espécies: a peroba rosa Aspidosperma sp., o pau d’alho Gallesia sp, a figueira branca Fícus sp., o palmito Jussara Euterpe edulis, entre outras.

O levantamento da avifauna realizado durante o período de campo resultou no registro de 88 espécies, distribuídas em 40 famílias e 19 ordens. Contudo, quando as informações secundárias foram agrupadas aos dados, um total de 237 espécies, pertencentes a 54 famílias e 21 ordens foi encontrado. Foram registradas 7 espécies de anfíbios anuros durante a campanha de campo. A riqueza de mamíferos de médio e grande porte não voadora obtida para o PE Mata São Francisco foi de 28 espécies. As únicas espécies de primatas registradas no PE Mata São Francisco foram o macaco-prego Cebus nigritus e o bugio Alouatta clamitans.

Problemas e ameaças

Introdução de espécies exóticas, caça ilegal e incêndios. Falta de fiscalização.

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=519


  • Plano de Manejo

http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1395