Parque Estadual Serra do Areal




Parque Estadual Serra do Areal
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Pernambuco
Município: Petrolina
Categoria: Parque
Bioma: Caatinga
Área: 15,9676 km2
Diploma legal de criação: Decreto Estadual nº 40550/14, de 28/03/2014
Coordenação regional / Vinculação: Agência Estadual do Meio Ambiente de Pernambuco
Contatos: Rua Santana, 367 - Casa Forte - Recife/PE

CEP: 52.060-460 Telefone: (81) 3182-8854

Índice

Localização

Petrolina -PE

Como chegar

O Município de Petrolina encontra-se distante cerca de 730 km da capital pernambucana, com acesso pela BR-232.

Ingressos

Onde ficar

Na cidade de Petrolina

Objetivos específicos da unidade

O parque tem como objetivos : I – preservar a diversidade biológica; II – preservar ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica; III – incentivar a implantação de ações que promovam a recuperação das áreas degradadas; IV - proteger as espécies raras e ameaçadas de extinção ocorrentes na área e nos remanescentes florestais da região; V- proporcionar meios e incentivos para atividades de pesquisa científica, estudo e monitoramento ambiental; VI - favorecer condições e promover a educação e interpretação ambiental e a recreação em contato com a natureza; VII – promover o desenvolvimento sustentável, respeitando a capacidade de suporte ambiental da caatinga, potencializando as vocações naturais, culturais, artísticas, históricas, e ecoturísticas da região; VIII - possibilitar a criação de um mosaico de Unidades de Conservação e a formação de corredores ecológicos na caatinga.

Histórico

O processo de criação da Unidade de Conservação foi iniciado em 2013 a partir de uma demanda da Prefeitura de Petrolina, com a Secretaria de Meio Ambiente, através da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) que indicou algumas áreas importantes para criação de Unidade de Conservação. O Município de Petrolina está contemplado como área prioritária para conservação da biodiversidade, segundo o MMA (2002) e como forma de contribuir para a preservação do Bioma Caatinga, a Serra do Areal e as áreas de Reserva Legal do Projeto Pontal foram indicadas pela Codevasf como áreas potenciais para criação de Unidade de Conservação no Sertão do São Francisco

Atrações

Aspectos naturais

Relevo e clima

O município de Petrolina apresenta-se, em grande parte, como uma superfície de aplanamento retocada e recoberta por sedimentos, onde predominam processos de erosão além da ampla ocorrência de “Inselbergs” devido ao modelamento policíclico, num sistema de erosão semi-árido. Segundo a classificação climática de Koppen, a região está contida no clima semi-árido da classe BMW, que se caracteriza por apresentar clima quente, alto poder de evaporação, elevada temperatura, reduzida amplitude térmica e irregularidade pluviométrica com curto período de chuvas concentradas no verão/outono (dezembro/abril), sendo março o mês que apresenta o maior índice pluviométrico.

Fauna e flora

De acordo com a Instrução Normativa MMA nº 6 de 23/07/2008 os taxa Myracrodruon urundeuva Allemão (aroeira) e Schinopsis brasiliensis Engl. (baraúna), estão incluídas na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçada de extinção e foram observados na área. Na maior parte das áreas foram detectadas espécies que na sua maioria estão adaptadas às formações vegetais abertas, que toleram bem a presença humana e apresentam ampla distribuição geográfica. De modo geral predominam espécies diurnas, com algumas de hábito noturno ( como : corujas, gatos do mato, raposa e guaxinim). De acordo com informações da população local os peixes aparecem após grandes enchentes, quando o rio São Francisco extravasa suas margens trazendo os para algumas lagoas da área. Destaca-se: Serrasalmus sp. (piranha), Prochilodus sp. (Curimatá), Cichlaocellaris (tucunaré), entre outros.

Problemas e ameaças

Fontes

http://www.cprh.pe.gov.br/ARQUIVOS_ANEXO/Proposta%20Tecnica%20PARQUE%20Petrolina%20Consema%20_1_.pdf

http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs/consulta-por-uc