Parque Estadual Serra do Brigadeiro

Fique por dentro das novidades do Parque Estadual Serra do Brigadeiro no Blog do WikiParques


20° 42′ 55″ S, 42° 26′ 51″ W

Parque Estadual Serra do Brigadeiro
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Minas Gerais
Município: Araponga, Fervedouro, Miradouro, Ervália, Sericita, Pedra Bonita, Muriaé e Divino.
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 14.984 hectares
Diploma legal de criação: Decreto n.º 38.319 de 26 de setembro de 1996 cria o Parque Estadual Serra do Brigadeiro.

Decreto 44.191 de 28 do 12 de 2005 altera a área do parque.

Coordenação regional / Vinculação: IEF - Instituto Estadual de Florestas
Contatos: Telefone: (32) 3721.7491

E-mail: pebrigadeiro@meioambiente.mg.gov.br

Índice

Localização

O Parque Estadual Serra do Brigadeiro (PESB) está localizado na região da Zona da Mata, a cerca de 290 Km de Belo Horizonte. O Parque ocupa o extremo norte da Serra da Mantiqueira ocupando terrenos nos municípios de Araponga, Fervedouro, Miradouro, Ervália, Sericita, Pedra Bonita, Muriaé e Divino.

Como chegar

O acesso mais utilizado é pela cidade de Araponga. A estrada foi reformada recentemente, em alguns pontos ela está pavimentada e em outros ela conta com acabamento de cascalho. O Parque fica entre os municípios de Araponga e Fervedouro. Saindo de Belo Horizonte, seguir pela BR 040, no sentido do Rio de Janeiro, até a BR 356 (rodovia dos Inconfidentes), sentido Ouro Preto. Seguir pela MG 262 até o município de Ponte Nova e entrar na BR 120, sentido Viçosa. Em Viçosa, no trevo para Ubá, pegar o acesso para São Miguel do Anta e, depois, pela BR 482 até Araponga. A partir daí, seguir por 11 km de estrada de terra até a ‘Portaria Araponga' do Parque. A partir de Viçosa, a estrada está bem sinalizada. Outro acesso para o Parque, chegando pela Portaria Pedra do Pato, é pelo município de Fervedouro que fica a 27,7km. A estrada não é pavimentada. No período das chuvas as estradas de acesso ao Parque tornam-se escorregadias, sendo recomendável o uso de veículo tracionado.

Ingressos

A entrada no parque é gratuita. Em relação à visitação, se o grupo a visitar a Unidade for grande e tiver um objetivo específico (turmas escolares, por exemplo), é necessário agendamento. Neste caso, são realizadas palestras voltadas ao tema trabalhado pelo grupo, dinâmica, trilha e visita à algumas estruturas localizadas na área central. Se quiser visitar algum pico, também é necessário o agendamento, para que um funcionário do PESB possa acompanhar, uma vez que o parque não conta com trilhas autoguiadas.

O parque está aberto à visitação de terça a domingo, de 08:00 às 17:00.

Onde ficar

Existem pousadas próximas ao parque ou nos municípios. Área para acampamentos somente em propriedade particular próxima do parque.

Objetivos específicos da unidade

Proteger a fauna e flora regionais as nascentes de rio e córregos da região além de criar condições ao desenvolvimento de pesquisa científicas e ampliação do turismo ecológico da região.

Histórico

Criado em 27 de setembro de 1996 (Decreto n.º 38.319), o Parque Estadual da Serra do Brigadeiro está localizado na região da Zona da Mata, a cerca de 290 Km de Belo Horizonte. Foi aberto à visitação em março de 2005. O Decreto 44.191 (.pdf - 103Kb), publicado em 2005, alterou a área do Parque.

O Parque fica no extremo norte da Serra da Mantiqueira, nos municípios de Araponga, Fervedouro, Miradouro, Ervália, Sericita, Pedra Bonita, Muriaé e Divino. A Serra do Brigadeiro possui inúmeras nascentes, que contribuem de maneira significativa para a formação de duas importantes bacias hidrográficas do Estado: a do rio Doce e a do Paraíba do Sul.


A infra-estrutura do Parque foi construída em parceria com o Programa de Proteção da Mata Atlântica de Minas Gerais (Promata) com recursos da Cooperação Financeira Internacional Brasil-Alemanha, repassados através do Banco Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW). Foram investidos R$ 1,25 milhão na construção de um centro de pesquisa, posto da polícia ambiental, laboratório, alojamento para pesquisadores, centro administrativo e de educação ambiental, residências para funcionários e administrador e reforma de antiga construção colonial, transformada em casa de hóspede.

Atrações

São inúmeros os atrativos do Parque, como: -Pico do Boné; -Pedra do Pato; -Pico do Itajuru; -Fazenda do Brigadeiro;

Na área central localiza-se o Centro de visitantes que conta com painéis da fauna e da flora local, bem como contando um pouco da história que antecede a criação da Unidade de Conservação. No centro de visitantes há painéis interativos e a maquete do parque.

O PESB possui outras trilhas menores, com percurso que variam de 30 min a 1:30min de caminhada (área central): -Trilha do Muriqui; -trilha do Encontro; -Pico do Grama; -Trilha da Lajinha.

Aspectos naturais

A unidade de conservação tem 14.984 hectares de onde predominam a Mata Atlântica, montanhas, vales, chapadas, encostas além de diversos cursos d'água que integram as bacias dos rios Paraíba do Sul e Doce.

O Parque abriga vários Picos: o do Soares (1.985 metros de altitude), o Campestre (1.908 m), o do Grama (1.899 m) e o do Boné (1.870 m).

A Mata Atlântica, principal formação vegetal da área, está intercalada com os Campos de Altitude e afloramentos rochosos, formando um belo cenário.

Relevo e clima

O relevo caracteriza-se como Montanhoso, com declividade media de 52%.

O clima da região é o tropical.

Fauna e flora

Em relação à fauna, ela é diversificada, dando destaque para a suçuarana ou puma, a jaguatirica, a caititu, o veado mateiro, o cachorro-do-mato, o tamanduá-de-colete, o caxinguelê, a preguiça-de-três-dedos, o macaco-prego, o sagui-da-serra. Nas matas do Parque foram localizados dois grupos independentes de mono-carvoeiro, também conhecido como muriqui, maior primata das Américas, ameaçado de extinção. Diversas espécies de aves também podem ser observados, como o pavó, o papagaio-do-peito-roxo, o gavião-pomba, o tucano-do-peito-amarelo, o trinca-ferro e a araponga.

Em relação à flora, o Parque constitui um ecossistema rico em espécies vegetais como bromélia, peroba, ipê, orquídea, cajarana, jequitibá, óleo-vermelho e palmito doce. A neblina que, durante quase o ano todo, cobre os picos onde se localizam os campos de altitude, propicia as condições para a formação de um ecossistema rico em orquídeas, samambaias, liquens, bromélias, variedades de gramíneas, arbustos e cactus, dentre outras espécies.

Problemas e ameaças

Muitas espécies da fauna, abrigadas no PESB, estão ameaçadas de extinção como: o sauá, o mono carvoeiro ou muriqui, a onça-pintada, a jaguatirica, o sapo-boi.

Fontes

Instituto Estadual de Florestas. Parque Estadual Serra do Brigadeiro. Disponível em <http://www.ief.mg.gov.br/component/content/197?task=view>. Acesso em 7/04/2014. Wikipedia. Parque Estadual Serra do Brigadeiro. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_Estadual_Serra_do_Brigadeiro>. Acesso em: 7/04/2014. http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=385