Parque Estadual da Cabeça do Cachorro




Parque Estadual da Cabeça do Cachorro
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Parana
Município: São Pedro do Iguaçu
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 60,98 ha
Diploma legal de criação: Decreto n°: 7.456 de 27/11/90.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Ambiental do Paraná
Contatos: Rua Guaíra, 3132 Centro -

Toledo/PR CEP 85.903-220

Tel: 45) 3255-1007

Índice

Localização

O Parque Estadual da Cabeça do Cachorro localizado na porção Centro-Sul do município de São Pedro do Iguaçu, Estado do Paraná. Situado nas margens do rio São Francisco Falso Braço Norte, na bacia hidrográfica do rio Paraná. PR-585, entre os municípios de São Pedro e Vera Cruz do Oeste.

Como chegar

O acesso terrestre, a partir da capital se faz pela BR-277, que cruza o Estado no sentido leste-oeste. A cidade de maior destaque nas proximidades imediatas é Toledo (536,6 km distante da capital segundo o SETR). Desta cidade até o município de São Pedro do Iguaçu utiliza-se a PR-585.

Ingressos

O Parque está aberto à visitação pública e é gratuita.

Visitação: de terça-feira a domingo e nos feriados, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30. Grupos organizados devem agendar o passeio.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Tem como objetivo básico à preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Histórico

O Parque Estadual da Cabeça do Cachorro tem a origem de seu nome vinculada ao formato físico de sua área. Através da visualização de fotos aéreas e de imagens de satélite, é possível visualizar o formato similar a cabeça de um cachorro.

Anteriormente a criação da Unidade, nas décadas de setenta e oitenta, a área foi explorada de forma que algumas das matrizes de grande porte foram poupadas, excetuando a porção sul onde houve derrubada total para implantação de cultivo agrícola que perdurou até meados de 1980.

Com a doação do grupo Banestado, em 1982, para o Instituto de Terras, Cartografia e Florestas - ITCF, toda a área permaneceu sem exploração econômica possibilitando a regeneração da vegetação

Atrações

Centro de Educação Ambiental; a Trilha do Tarumã, de 550 metros, onde é possível visualizar a flora local; e a Trilha da Ponte Pênsil, com acesso a um trajeto de 1.800 metros onde é possível observar pássaros, mamíferos e outras espécies da fauna local.

Aspectos naturais

Relevo e clima

O relevo, a proximidade com a calha do rio Paraná, a latitude e a dinâmica dos sistemas atmosféricos conferem a área um caráter muitas vezes instável. As rajadas de vento acontecem ocasionalmente, podendo ser severas. Sua origem está associada as linhas de instabilidades existentes na região.

No Parque Estadual da Cabeça do Cachorro, o clima possui caráter mesotérmico. Está classificado, segundo Köeppen, como sendo do tipo Cfa, ou seja, com média do mês mais quente acima de 22 ºC e do mês mais frio inferior a 18 ºC, sem estação seca definida, verão quente e geadas pouco frequentes.

Fauna e flora

O Parque abriga representantes de fauna e flora ameaçados de extinção como o pau-marfim, cabreúva, jaracatiá, pacas, cotias, tucanos, entre outros.

Problemas e ameaças

Atividades de caça e pesca;

Pressão do entorno sobre o rio que faz divisa com a UC;

Extrativismo vegetal irregular.

Fontes

Plano de Manejo: http://observatorio.wwf.org.br/site_media/upload/gestao/planoManejo/PM_PE_CabecadoCachorro1.pdf