Parque Estadual do Jurupará

O Parque Estadual do Jurupará está localizado a cerca de 90 quilômetros da cidade de São Paulo. Criado em 1978 como Reserva Natural, a Unidade foi transformada em parque em 1992. O parque corresponde a uma área de 26.250 hectares do bioma Mata Atlântica.



Parque Estadual do Jurupará
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Sao Paulo
Município: Piedade, Ibiúna
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 26.250 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual n° 12.185, de 30 de agosto de 1978. (criação)

Decreto Estadual n° 35.703, de 22 de setembro de 1992. (recategorização)

Decreto Estadual n° 35.704, de 22 de setembro de 1992. (ampliação)

Coordenação regional / Vinculação: Fundação para Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo
Contatos: Unidade de Conservação do Parque Estadual do Jurupará

E-mail: pe.jurupara@fflorestal.sp.gov.br

Telefone: (15) 3494-5570 // (15) 3494-5595

Chefe da Unidade: Clecio Rogério Silva

Índice

Localização

O Parque Estadual do Jurupará está localizado no estado de São Paulo, entre os municípios de Piedade e Ibiúna, a cerca de 90 quilômetros da capital paulista.

Como chegar

Acessos ao Parque

Parte Norte:

ƒ BAO Itaguapeva: Rodovia Raposo Tavares (SP-270), Rodovia Bunjiro Nakao (SP-250), segue-se, a partir do centro de Ibiúna, pela Rodovia Municipal Tancredo de Almeida Neves ou Estrada Municipal de Ibiúna – Bairro Murundu (IBN-020), até a entrada do PEJU, onde está localizada a BAO Itaguapeva.

Parte Sulƒ:

BAO Juquiá-Bonito: Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), na altura do km 332, no sentido Paraná, entra-se à direita na Estrada do França, por onde percorre-se cerca de 10 km de trecho de terra chegando até a BAO Juquiá-Bonito.

Ingressos

Uso Público: até o momento não há atividade regular de uso público. A visitação ocorre de forma espontânea e em baixa intensidade, sem divulgação, controle e infra-estrutura de atendimento e segurança ao visitante, com impactos ao meio ambiente e riscos ao visitante.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Finalidade de proteger e conservar todo o complexo ecológico ali existente, desde espécies vegetais, animais, cursos dáguas e demais elementos do patrimônio natural e cultural da região.

Histórico

O PE do Jurupará é totalmente constituído por terras públicas, algo raro na realidade da grande maioria das unidades de conservação de proteção integral do estado de São Paulo e também do Brasil. Entretanto, o Cadastro Fundiário realizado pelo ITESP constatou que o Parque possui grande quantidade de áreas ocupadas - algumas por populações tradicionais que chegaram ao local antes da proteção legal incutida ao território, e outras tantas por ocupações irregulares advindas de especulação imobiliária.

O Parque Estadual do Jurupará foi criado em 1978 como Reserva Natural, a Unidade foi transformada em parque em 1992 e em 2010 ganhou seu Plano de Manejo.

Atrações

- Juquiá-Bonito: Cachoeira do Rio Juquiá-Bonito, Cachoeira do Rio Bonito, Cachoeira do Paredão e suas respectivas trilhas de acesso.

ƒ - Juquiá-Guaçú: Poção e seu respectivo acesso.

ƒ- Pico do Descalvado e Trilha Interpretativa do Pico do Descalvado.

ƒ- Estrada Parque Jurupará e Estrada Parque Juquiá-Guaçu: percurso de bicicleta.

Aspectos naturais

O PE do Jurupará encontra-se estrategicamente localizado entre o Contínuo Ecológico de Paranapiacaba, o Parque Estadual da Serra do Mar, a APA Itupararanga e a Reserva Estadual do Morro Grande, apresentando função conectora e contribuindo com um extenso corredor voltado à manutenção da Mata Atlântica do Estado de São Paulo, apesar de parte dos remanescentes florestais apresentar-se em estágio secundário de conservação.

Sua localização também contribui para proteção da bacia hidrográfica do Alto Juquiá, abrangendo uma densa rede hídrica composta por formadores do rio Juquiá, rio Juquiá-Guaçu e rio do Peixe. Não por menos o PEJU reúne em seu perímetro, quatro usinas hidrelétricas, sendo nítidos os serviços ambientais prestados, de manutenção da qualidade e quantidade de água.

Relevo e clima

O relevo do PEJU é bastante dissecado, com alta densidade de drenagem e domínio de declividades que variam de 5 a 20%. O clima da região é caracterizado como quente de inverno seco, com temperatura média anual de 22ºC.

Fauna e flora

Mata Atlântica, com as seguintes formações vegetacionais: Floresta Ombrófila Densa Montana, Floresta Ombrófila Densa Montana Secundária, Floresta Ombrófila Densa Submontana, Floresta Ombrófila Densa Submontana Secundária, Floresta Ombrófila Densa Alto-Montana, Vegetação sobre afloramento rochoso, campo antrópico e reflorestamento (pinus e eucalipto).

Ao reunir as diversas fontes de informação, foram selecionados registros referentes a 557 espécies da flora no PEJU. Essas espécies estão distribuídas em 103 famílias e 303 gêneros. Dessas, 31 espécies foram classificadas como ameaçadas de extinção, 41 endêmicas e 38 exóticas. 

Estima-se que um total de 587 espécies de vertebrados esteja presente no Parque, dos quais 94 pertencem ao grupo da mastofauna, 258 da avifauna, 161 da hepertofauna e 74 da icitiofauna. Do número total de espécies registradas, 46 estão ameaçadas de extinção, 141 são consideradas endêmicas e 19 são exóticas.

Problemas e ameaças

População residente no interior do Parque, atividades de subsistência, presença de animais domésticos e de criação, criação de peixes exóticos e translocados e presença de estruturas relacionadas à geração e transmissão de energia: da CBA são quatro usinas hidrelétricas no perímetro da UC, e uma linha de transmissão e estruturas no interior da UC, enquanto, da Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda. há uma usina hidrelétrica e estruturas associadas no interior da UC. Complementarmente, há caça, pesca e extração de produtos não madeireiros (com destaque para o palmito), atividades estas desenvolvidas por ocupantes, invasores e visitantes.

Fontes

Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (Ministério do Meio Ambiente) [1]

Plano de Manejo do Parque Estadual do Jurupará - Resumo Executivo [2]