Parque Nacional de Jericoacoara

O Parque Nacional (Parna) de Jericoacoara, no estado do Ceará, foi criado em fevereiro de 2002, com área de 8.416 hectares, a partir da recategorização parcial da Área de Proteção Ambiental criada em 1984, e da redefinição de seus limites em junho de 2007.A Unidade de Conservação possui um grande potencial turístico. A Pedra Furada, formação rochosa considerada ícone de Jericoacoara e uma das principais paisagens do Parque Nacional, é visitada por um grande número de turistas.

Por sua vez, o Serrote, formação rochosa que se eleva ao nordeste da Vila de Jericoacoara, apresenta o ponto culminante do parque, onde está localizado o farol a uma altitude de 95 metros. Do campo de dunas, que se estende por quase toda a extensão do parque, destaque para a Duna do Pôr do Sol.

Há ainda passeio ecológico nos manguezais e nas lagoas temporárias, que formam uma atração à parte. As praias são a maior atração do Parque Nacional, tendo uma grande variedade, desde as que possuem grande número de frequentadores até as isoladas ou propícias para prática de esportes náuticos. fonte: http://www.icmbio.gov.br/


Carregando mapa...
Parque Nacional de Jericoacoara
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Ceara
Município: Jijoca de Jericoacoara e Cruz
Categoria: Parque
Bioma: Marinho Costeiro
Área: 8.416 hectares
Diploma legal de criação: Decreto s/n° de 4 de fevereiro de 2002.
Coordenação regional / Vinculação: Parna federal, órgão gestor ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: Tel: (88) 3669-2140

Endereço sede: Rua Oceano Atlântico, s/n - sede do Parque Jijoca de Jericoacoara, Ceará
CEP: 62.598-000
Email: parnajericoacoara.ce@icmbio.gov.br

Índice

Localização

O Parna localiza-se a 195 km de Fortaleza, no Ceará, e abrange os municípios de Jijoca de Jericoacoara e Cruz.

Como chegar

Partindo-se de Fortaleza, o percurso mais comum é seguir pela BR-020 até a saída para a BR-222. Desta última, segue-se até a localidade de Umirim, de onde se pega a saída para a BR-402 (CE-354), à direita.

Seguir em direção a Itapipoca e Amontoada. Próximo a Morrinhos, entrar na BR-403 (CE-178), até a cidade de Acaraú. De lá, seguir até o entroncamento com a CE-085, que faz ligação com a sede municipal de Jijoca de Jericoacoara.

Outra opção é seguir pela rodovia CE-085 (via Estruturante). Ainda em Fortaleza, segue-se pela Av. Ulisses Guimarães até o trevo com a rodovia CE-090. Desta, toma-se a direção sul até o entroncamento com a CE-085. Dali, deve-se seguir até o trevo, optando então pela CE-168 até a localidade de Itapipoca, de onde se segue pela BR-402 (CE-354) rumo à Amontoada e Morrinhos. Antes desta última cidade entrar na BR-403 (CE-178) até o trevo com a CE-216, a partir do qual se chega a Marco. Depois, seguir pela CE-178 rumo à Bela Cruz e Cruz. De Cruz, segue-se pela CE-085 até o Centro de Informações Turísticas de Cruz. Dali, entrar à direita em estrada carroçal.

Da entrada à guarita de entrada do Parna de Jericoacoara localizada na Praia do Preá, são aproximadamente 15 km.

A partir de Jijoca de Jericoacoara, um dos percursos é feito por uma estrada não pavimentada até a Vila do Preá, onde se localiza uma das quatro entradas do parque e dista 11km da Vila de Jericoacoara. As estradas internas são sobre areia, sendo o acesso possível somente para veículos com tração nas quatro rodas (4x4) ou bugues.

Ingressos

Ainda não há visitação formal e não há cobrança de ingresso.

Onde ficar

Existem opções de hospedagem em Jericoacoara, com pousadas, hoteis e camping.

Objetivos específicos da unidade

O Parna tem como objetivo proteger amostras dos ecossistemas costeiros, assegurar a preservação de seus recursos naturais e proporcionar pesquisa científica, educação ambiental e turismo ecológico. As finalidades do parque nacional envolvem principalmente a proteção às dunas existentes na área, bem como a conservação de espécies de plantas e aves próprias de zonas litorâneas.

Histórico

As origens da ocupação da região remontam ao início da colonização europeia no Brasil tendo sido iniciada por navegadores que buscavam portos seguros e fartos em alimento para as suas embarcações e tripulações.

O Ceará era povoado por povos indígenas dos troncos Tupi (tabajaras, parangabas, parnamirins, paupinas, caucaias, potiguaras, paiacus, tapebas) e Jê (tremembés, guanacés, jaguaruanas, canindés, genipapos, baturités, icós, chocós, quiripaus, cariris, jucás, quixelôs e inhamuns).

Em 1613, os portugueses rumaram para o norte do Ceará para conquistar as terrasconhecidas hoje como Maranhão. De passagem pelas terras localizadas no meio do caminho, tentaram ocupar Camocim e se transferiram para a beira das terras conhecidas como "buraco das tartarugas", hoje Jericoacoara.

Enquanto os portugueses se instalaram nas praias calmas de Jericoacoara, os holandeses ficaram com Camocim. O interesse de colonização era a descoberta de minérios preciosos e a extração de sal. Os canais do rio Camocim, em marés altas, permitiam a navegação, isso facilitou a estada dos holandeses, que ainda conseguiram encontrar um local que facilitava o extrativismo de sal e tinha água potável em abundância.

O significado e a origem do nome Jericoacoara ainda é controverso. Jericoacoara, palavra do Tupi significa “moradia das tartarugas” e cartas náuticas do século16 indicavam a localidade como Baía das Tartarugas ou Enseada das Tartarugas.

Em pouco tempo, Jericoacoara ganhou fama internacional como point turístico, atraindo o interesse do poder público e da iniciativa privada. No início da década de 1980, o jornal norte-americano “The Washington Post” classificou Jericoacoara como uma das dez mais belas praias do planeta. Outras reportagens se seguiram na imprensa nacional e internacional, como a “Revista Geográfica Universal”, que publicou em 1984, um artigo intitulado “Jericoacoara: um paraíso no Ceará”.

O Parque corresponde a aproximadamente 26% da área protegida por essas unidades de conservação no Estado.

Atrações

Um dos pontos mais visitados do Parque é a formação rochosa chamada de Pedra Furada. O farol, localizado no Serrote, é outra atração local.

Também integram a lista de atrativos, os passeios em manguezais e lagoas temporárias.

Aspectos naturais

A UC situa-se na zona costeira e marinha e reúne mangues, restingas e dunas.

Relevo e clima

O clima é quente e úmido com verões chuvosos que podem se estender de dezembro a maio, e invernos menos chuvosos de junho a novembro com precipitação pluviométrica média de 1.034 mm por ano.

As temperaturas médias vão de 26ºC a 27ºC, com máximas de 30ºC e mínimas de 19ºC. As temperaturas médias da água do Oceano Atlântico estão entre 25ºC e 28ºC, com salinidade entre 36% e 37%.

A área do Parque Nacional apresenta domínios de planície litorânea, planície fluviomarinha com manguezal e tabuleiros pré-litorâneos. Existem ainda dunas fixas e móveis.

Fauna e flora

Um total de 131 espécies de aves foi registrado durante o levantamento de campo nos ambientes que compõem o PN de Jericoacoara.

A diversidade da fauna aquática da zona costeira é rica e podem ser encontradas em ecossistemas estuarinos, mangues e lagoas que são considerados de extrema importância biológica.

A diversidade encontrada contém 62 espécies de peixes, sete espécies de crustáceos e sete espécies de moluscos com um total de 76 espécies de animais aquáticos.

Entre os animais que constam na lista de espécies ameaçadas estão a tartaruga-cabeçuda, a tartaruga-de-pente, a tartaruga-oliva e a onça-parda.

Problemas e ameaças

O Parna tem uma gestão participativa por meio do Conselho Consultivo do Parque (CONPARNA).

Recentemente foi implantado um roteiro de fiscalização preventiva dentro do perímetro da UC, que consiste em rondas diárias nas trilhas do parque nacional com o apoio de policiais militares da Companhia de Polícia Militar Ambiental (CPMA), que tem por objetivo coibir as infrações ambientais.

O tráfego desordenado de veículos motorizados na área do Parque foi reduzido, assim como a diminuição do número de veículos que sobem nas dunas móveis.

Entre as atividades conflitantes estão a retirada de areia e barro, principalmente para a construção de casas; o acúmulo de lixo no interior da UC, relacionado à atividade turística; esgotamento de fossas em locais desapropriados; pastoreio de animais domésticos; pesca irregular dentro dos limites da UC; utilização da área marinha por esportes náuticos como surf, kitesurf e windsurf; e caça.

Ainda há a presença de posseiros no interior da UC.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/410/

https://www.facebook.com/ParqueNacionalDeJericoacoara

http://www.brasil.gov.br/localizacao/parques-nacionais-e-reservas-ambientais/parque-nacional-de-jericoacoara-2013-ce

http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/190-parque-nacional-de-jericoacoara.html

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/marinho/unidades-de-conservacao-marinho/2261-parna-de-jericoacoara

Decreto de Criação: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/Jericoacoara.pdf

https://sites.google.com/site/parquenacionaldejericoacoara/

Plano de Manejo, Parque Nacional de Jericoacoara, Brasília 2011: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/Contextualizacao.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/Analise%20da%20Regiao.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/Analise_Unidade.pdf