RPPN Toca da Paca




RPPN Toca da Paca
Esfera Administrativa: Particular
Estado: Sao Paulo
Município: Guatapará
Categoria: Reserva Particular do Patrimônio Natural
Bioma: Mata Atlântica
Área: 187ha
Diploma legal de criação: Resoluções SMA 26/2008 e SMA 66/2008
Coordenação regional / Vinculação: Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo

OSCIP Ibiré Amigos da Terra - Ribeirão Preto/SP USP Ribeirão Preto UNESP Rio Claro UNESP Jaboticabal Usina São Martinho

Contatos: Daniela de Azevedo Souza - Proprietária

Gustavo Defina - Presidente Ibiré

Índice

Localização

A RPPN Toca da Paca está situada na Fazenda Boa Vista, localizada no município de Guatapará/SP, Estado de São Paulo, sob as coordenadas UTM N = 7.624.826,3538; E = 801.732,0812, possui uma área total de 314,5872 hectares, dos quais 187 hectares estão protegidos por lei na forma de Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN. Referência Ribeirão Preto/SP

Como chegar

Acesso pela Rodovia SP 255 (Antônio Machado Sant´Anna) - acesso Guatapará

Ingressos

R$ 15,00 com permanência no Pesqueiro Toca da Paca

Onde ficar

Ribeirão Preto, Guatapará, Pradópolis, Guariba, Jaboticabal ou Hotel Fazenda 14 Bois (propriedade vizinha, mas sujeito a disponibilidade)

Objetivos específicos da unidade

Preservação, conservação, pesquisa, educação ambiental e turismo.

Histórico

A RPPN Toca da Paca foi criada em 2008 com o objetivo de ser um verdadeiro oásis no meio da monocultura predominante da região, que é de cana-de-açúcar. É formada de uma intensa mata paludosa com continuação em uma grande várzea limítrofe ao Rio Mogi-Guaçu. Está encravada em meio a outros fragmentos não protegidos que estão em propriedades particulares de vizinhos e que formam juntamente com o fragmento protegido um importante remanescente de mata que protege toda a fauna e flora regional, a qual são ameaçadas pela monocultura da cana-de-açúcar e pela histórica prática de caça e pesca predatória da região, salientando que a mata abriga grande quantidade de espécies altamente ameaçadas de extinção como Lobo Guará, Onça Parda, Jaguatirica, Cachorro Vinagre, Tamanduá Mirim, Tamanduá Bandeira, Veado Mateiro, Veado Catingueiro, entre outras espécies catalogadas e fotografadas em levantamentos faunísticos. Também possui uma vegetação muito peculiar que com o passar dos anos, devido a grande exploração das várzeas no interior do estado de São Paulo, é cada vez mais raro ser encontrada e estudada.

Atrações

Trilhas ecológicas e o pesqueiro Toca da Paca.

Aspectos naturais

Relevo e clima

Fauna e flora

A fauna também mostrou-se bastante representativa. Aves foi o grupo melhor representado e, a priori, foram identificados perto de 100 espécies, mamíferos com 22 espécies e demais grupos de vertebrados precisam ser mais bem estudados, sobretudo peixes, visto o grande número de mananciais associados à área e a enorme extensão da RPPN que margeia o Rio Mogi Guaçu, cerca de 2km.

Problemas e ameaças

Assentamento rural vizinho que não dispõe de fiscalização ambiental. Caça e pesca predatória. Desmatamento das áreas de mata em propriedades vizinhas. Prática de queimadas para controle de pasto feito em várzeas vinhas.

Fontes