Reserva Biológica do Tamboré




Reserva Biológica do Tamboré
Esfera Administrativa: Municipal
Estado: Sao Paulo
Município: Santana de Parnaiba
Categoria: Reserva Biológica
Bioma: Mata Atlântica
Área: 3.673.385,71 m²
Diploma legal de criação: Lei ordinária n° 2689, de 21/12/2005
Coordenação regional / Vinculação: Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba -SP
Contatos: Telefone: (11) 4622-7500

Índice

Localização

Praça Monte Castelo - 04 CEP: 6501125, Bairro: Centro ,Cidade Santana de Parnaíba - SP Está localizada no bairro Tamboré e pertence a Santana de Parnaíba, município da região oeste da Grande São Paulo.

Como chegar

Ingressos

A Reserva Biológica Tamboré é fechada para visitação pública. Somente visitas técnicas para monitoramento, pesquisa e levantamento de fauna e flora são permitidas, após autorização prévia e emitida pela Prefeitura de Santanta de Parnaíba e pelo Instituto Brookfield, responsável pela gestão da reserva.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Preservação total de aproximadamente 357 hectares remanescentes de Mata Atlântica, em diferentes estágios de conservação, na região urbana - Bairro do Tamboré - Santana de Parnaíba - SP.

Histórico

Atrações

Aspectos naturais

COBERTURA VEGETAL - Fitofisionomia típica de Mata Atlântica, composta por um mosaico de formações em diferentes estágios sucessionais, podendo se reconhecidas fisionomias vegetais em estágios pioneiros (7,8%), inicial (13,47%), médio avançado (61,3%) e avançado (13,72%) de regeneração natural, todos de caráter secundário, além de brejos (0,33%) e reflorestamento (3,38%). ESPÉCIES VEGETAIS - Foram identificadas 193 espécies, pertencentes a 67 famílias botânicas, entre elas: 21 Leguminosae, 14 Euphormiaceae, 11 Melastomataceae, 11 Myrtaceae, 9 Lauraceae e 7 Compositae. Dentre as espécies identificadas pode-se destacar: Samambaiaçu, Ipê-amarelo, Ripsalis (epífita), Canela-sassafrás, Jequitibá-vermelho, Cedro, Jacarandá-paulista, Bicuíba e Pau-de-viola.

Relevo e clima

Está inserida no Planalto de Jundiaí, unidade pertencente ao Planalto Atlântico. Localmente os corpos de filitos associados a metabasitos e quartzitos, sustenta um relevo de morrotes com encostas canvexo-retilíneas, ocorrendo de forma restrita, fragmentos de encosta com caráter côncavo. As cotas topográficas observadas permitem determinar dois setores para a Unidade de Conservação, sendo um com altitudes elevadas outro com altitudes médias. A declividades locais podem ser descritas de forma genérica como sendo inferiores a 60% na média, nas encostas mais declivosas e inferiores a 20% nas menos íngremes. Observam-se sete cristas bem pronunciadas, controlando o sistema de drenagem e declividades no setor mais elevado da área. A densidade de drenagem é predominantemente baixo; dado o contexto geológico na área, conclui-se que as feições morfológicas do terreno sofrem um controle da soma de tal geologia com fatores climáticos atenuantes.

Fauna e flora

193 espécies vegetais identificadas, que pertencem a 67 famílias botânicas da região da mata atlântica. 123 espécies de aves, com destaque para algumas indicadoras de boa qualidade ambiental.

Problemas e ameaças

Fontes

http://www.institutobrookfield.org.br/programas/reserva-biologica/

Por meio do Termo de Convênio firmado em 2006 entre a Prefeitura de Santana de Parnaíba e o Instituto Tamboré (atual Instituto Brookfield), para a gestão compartilhada da Reserva Biológia Tamboré