Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho




Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Para
Município: Baião
Categoria: Reserva Extrativista
Bioma: Amazônia
Área: 55.816 hectares
Diploma legal de criação: Decreto S/N de 14/06/2005.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Contatos: Unidade de Conservação:

Endereço: Av. Júlio César, 7060 (Prédio do SIPAM) - Val de Cans - Belém/PA CEP: 66.617-420

E-mail: 1. rodrigo.figueiredo@icmbio.gov.br

Telefone: 1. (91) 3257-2535 2. (94) 3778-4438

Índice

Localização

A área da Reserva encontra-se delimitada pela margem esquerda do rio Tocantins, sentido Leste, e pela margem direita do rio Jacundá, sentido Oeste.

Como chegar

Ingressos

Não há ainda nenhum plano de visitação para a unidade.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

A Reserva Extrativista é uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais, cuja subsistência baseia-se no extrativismo e, complementarmente, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte, e tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade.

Histórico

A região do Anilzinho, municipio de Baião era rica em castanhais, a terra era devoluta e muita gente tinha interesse em ficar com estas terras, havia uma família de Baião, que queria arrendar a terra para explorar a castanha, mais os moradores pioneiros viajaram para Belém pedir ao então Governador Alacid Nunes, que os castanhais ficassem para o povo de Baião. Assim sendo o governo baixou um decreto que saiu no Diário Oficial, reservando esta região para o povo de Baião.

Ipaú-Anilzinho apresenta uma população constituída por 600 famílias, distribuídas em seis comunidades: Anilzinho, Espírito Santo, Fé em Deus, Joana Peres, Lucas e Xininga.

Em 14 de junho de 2005, a Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho foi criada através de Decreto com o objetivo de proteger o meio de subsistência e a cultura da população que ali vivem.

Atrações

Aspectos naturais

A Reserva é composta por Floresta tropical alterada com castanha do brasil, seringueiras, virola, massaranduba, bacuri e especies de madeira de lei. Mata secundária, constituída por capoeira e especies nativas.Vegetação típica de varzea, como açai e palmeiras diversas, e áreas de pastagem.

Relevo e clima

Relevo de planicie com pequena inclinação nas margens do tocantins, e áreas de varzea.estão inseridos na Unidade morfoestrutural Planalto Rebaixado da Amazonia.

Fauna e flora

A unidade de conservação abriga algumas espécies da fauna como: Dasyprocta leporina (cutia), Tayassu pecari (queixada), Euphractus sexcenctus (tatu-peba), Mazama americana (veado-mateiro/vermelho), Cuniculus paca (paca), nambu-galinha (Tinamus guttatus), jacupemba (Penelope superciliaris), jabuti-amarelo (Chelonoidis denticulata), jabuti-vermelho (Chelonoidis carbonaria), tartaruga-da-Amazônia (Podocnemis expansa).

Problemas e ameaças

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=241