A prática da escalada é uma forma diferente de viver as unidades de conservação. Foto: Wikimedia

A prática da escalada é uma forma diferente de viver as unidades de conservação. Foto: Wikimedia


Os parques oferecem mais que trilhas . As formações rochosas localizadas em algumas destas áreas protegidas são um verdadeiro atrativo para um grupo especial de visitantes: os escaladores. Cada via de escalada é um paraíso à parte para os praticantes desse esporte, que não se intimidam com a imponência dos paredões de pedra.

No Brasil, apesar da escalada acontecer em diversas unidades de conservação, são poucas aquelas nas quais a atividade está regulamentada. Esta, inclusive, é uma demanda constante dos praticantes.  Mesmo que seus caminhos verticais sejam para poucos, a escalada também é uma forma de viver o parque e conhecê-lo sob um outro olhar: a partir da textura da rocha e da visão panorâmica das alturas.

Em homenagem a essa turma, o WikiParques preparou uma lista com cinco parques para serem conhecidos na vertical. Ajeitem seus mosquetões, cadeirinhas e sapatilhas, está na hora de escalar!

Parque Estadual do Sumidouro (MG)

Escalada no Parque Estadual do Sumidouro. Foto: Cíntia Palhares/Agência de Minas

Escalada no Parque Estadual do Sumidouro. Foto: Cíntia Palhares/Agência de Minas


Localizado em Minas Gerais, o Parque Estadual do Sumidouro é a única unidade de conservação do estado cuja prática de escalada em rocha é regulamentada por uma portaria (Portaria IEF 138/2011). Ou seja, além da chance de conferir as paisagens do Cerrado mineiro de um ângulo privilegiado enquanto escalam os maciços da Lapinha, os escaladores podem contar com o apoio da administração do parque para prática da atividade. Motivos de sobra para colocar a sapatilha nos pés e as mãos na rocha!

Parque Nacional Serra dos Órgãos (RJ)

Um dos grandes marcos da escalada no estado, o Dedo de Deus é um clássico entre os escaladores do Rio de Janeiro. Foto: Rodrigo Soldon/Flickr

Um dos grandes marcos da escalada no estado, o Dedo de Deus é um clássico entre os escaladores do Rio de Janeiro. Foto: Rodrigo Soldon/Flickr


O Dedo de Deus é um dos pontos mais clássicos e simbólicos para os escaladores do Rio de Janeiro. A formação rochosa que, de longe, parece um dedo indicador apontando o céu, está localizado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, e é apenas uma das opções para os escaladores que quiserem explorar roteiros menos turísticos na unidade. Existem vias para todos os níveis, desde os iniciantes até os escaladores mais experientes em busca de um desafio nas alturas.

Parque Estadual Pedra da Boca (PB)

A famosa e curiosa Pedra da Boca, que dá nome ao parque. Foto: Brian Richardson/Flickr

A famosa e curiosa Pedra da Boca, que dá nome ao parque. Foto: Brian Richardson/Flickr


O nome já denuncia a vocação natural desta unidade de conservação para os esportes na rocha. De fato, o Parque Estadual Pedra da Boca, na Paraíba, faz jus ao título e é um dos paraísos da escalada na Caatinga. Existem diversas vias de escalada para explorar, inclusive algumas bem próximas à curiosa “boca” esculpida na pedra a partir de anos de erosão, para que os escaladores possam desenvolver suas próprias teorias sobre o desenho da montanha. Pendure os mosquetões e mão na boca, ou melhor, na pedra!

Parque Nacional da Chapada Diamantina (BA)

Serra da Lapinha, uma das formações rochosas do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Foto:  Guilherme Imbassahy/WikiParques

Serra da Lapinha, uma das formações rochosas do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Foto: Guilherme Imbassahy/WikiParques


A região da Chapada Diamantina é um dos destinos favoritos dos escaladores brasileiros, portanto, o seu parque nacional não poderia ficar de fora dessa lista. Os paredões rochosos agradam desde os praticantes da escalada esportiva, quanto os praticantes de boulder, modalidade em que não há cordas nem mosquetão para fazer a segurança do escalador. Localizado no interior da Bahia, numa área de encontro entre Caatinga e Cerrado, o parque é um excelente destino para quem quer uma ampla variedade de vias com a garantia de um cenário de tirar o fôlego.

Parque Nacional do Monte Roraima (RR)

A imponência do Monte Roraima, um desafio para os escaladores. Foto: F. Fernandes/Flickr

A imponência do Monte Roraima, um desafio para os escaladores. Foto: F. Fernandes/Flickr


Escalar o Monte Roraima, que dá nome ao parque nacional do lado brasileiro, é uma tarefa apenas para os escaladores mais experientes. Conquistar o paredão dessa formação rochosa imponente, com 2.875 metros de altitude, exige técnica e determinação, mas a visão do topo desse gigante promete compensar os corajosos que chegarem ao cume. Localizado na fronteira com a Venezuela, o acesso pelo lado brasileiro do parque nacional exige autorização prévia do ICMBio.

 

 

 

Comentários

comentários