Foi recolhido mais de uma tonelada de lixo durante a ação. Foto: Ascom Fernando de Noronha/Divulgação


No último sábado (15/09), foi comemorado o Dia Mundial da Limpeza das Praias e Rios e a data não passou em branco no parque nacional marinho e na área de proteção ambiental que protegem o arquipélago de Fernando de Noronha (PE). A ação de limpeza nas praias da ilha envolveu cerca de 100 voluntários e coletou 1.4 tonelada de lixo. Além das tradicionais vilãs como embalagens plásticas, descartáveis, latas, garrafas de vidro e canudos, foram recolhidos também uma mesa, um banco e um colchão!

As equipes voluntárias recolheram os resíduos nos arredores da Vila dos Remédios e na Praia do Porto, enquanto mergulhadores fizeram a retirada de lixo no fundo do mar. O evento de limpeza das praias, ou Cleanup Day, como é conhecido mundialmente, é uma ação internacional que ocorre todo ano em setembro e tem como objetivo chamar a atenção para a preservação dos ambientes marinhos e costeiros e para o problema do lixo.

“Essa sensibilização para a questão do lixo é despertar a consciência ambiental em cada um. E alertar para as pessoas não jogarem os resíduos em qualquer lugar da ilha. É preciso encaminhar para reciclagem ou fazer o descarte em locais corretos. O nosso intuito é criar um hábito de fazer essa separação o tempo todo, em casa, no local de trabalho, no lazer, e tentar despertar para essa consciência. Fernando de Noronha é preservada mas a problemática do lixo existe, por conta do turismo que é grande”, ressalta uma das coordenadoras do mutirão de limpeza em Noronha, Fabiane Vilela.

A ilha conta com o serviço diário de coleta seletiva, denominada de Jogue Limpo com Noronha, com calendário de recolhimento que abrange todos os bairros, com coleta de material reciclável, não reciclável, orgânicos e de volumosos. Além disso bombonas de armazenamento de óleo vegetal usado, ecopontos, estão instaladas em bares e restaurantes. Atualmente 12 toneladas de lixo são coletados diariamente em Fernando de Noronha, onde 60% é formado por material plástico. Entre 6 e 7 mil garrafas de vidro são recolhidas todos os meses na ilha. Esse material é todo enviado para a Usina de Tratamento de Resíduos Sólidos (UTRS), onde é efetuado o processo de transformação do lixo orgânico e prensa em fardos do lixo inorgânico, para devolvê-lo ao continente e reaproveitamento do que é possível reciclar.

Voluntários separam o lixo recolhido. Foto: Ascom Fernando de Noronha/Divulgação

 

 

 

Comentários

comentários