A Área de Proteção Ambiental Bacia do Rio Pandeiros, no Norte de Minas gerias. Foto: Evandro Rodney/IEF

A Área de Proteção Ambiental Bacia do Rio Pandeiros, no Norte de Minas gerias. Foto: Evandro Rodney/IEF


Área de Proteção Ambiental Bacia do Rio Pandeiros (MG), a Área de Proteção Ambiental Estadual Pandeiros Cochá e Gibão (MG) e a Área de Proteção Ambiental Federal Cavernas do Peruaçu (MG) foram escolhidas para sediar um sítio de pesquisa cientifica sobre os ecossistemas no Norte de Minas Gerais. A proposta da pesquisadora Yule Roberta Ferreira Nunes, professora do Departamento de Biologia Geral da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), foi aprovada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Com a aprovação, o sitio de pesquisa passa a fazer parte do Programa Ecológico de Longa Duração (PELD).

O PELD é um importante instrumento de investigação dos estudos ecológicos brasileiros. Conta com uma rede de 33 sítios de estudos científicos distribuídos nos diversos biomas, contribuindo para formação de recursos humanos e para a consolidação da pesquisa em Ecologia no Brasil. A seleção dos sítios de estudos científicos se dá pela representatividade das unidades de conservação, distribuição geográfica, diversidade de biomas, a existência de infraestrutura (recursos humanos, equipamentos, acessibilidade e disponibilidade de informação científica), vinculação institucional, capacidade de executar e garantir a continuidade de investigações ecológicas de longa duração e condições para experimentação no local.

No âmbito da Unimontes, a proposta contemplada é pioneira e representa um avanço nos estudos científicos do ecossistema. Conforme a pesquisadora, o objetivo é ampliar o conhecimento sobre as veredas, “um ecossistema bastante frágil”. O projeto tem como foco principal o “colapso das veredas no sertão mineiro: efeitos antrópicos locais e mudanças climáticas globais”.

 

*Com informações do IEF

 

 

 

Comentários

comentários