Fazenda Monjolo. Foto: SPVS

Fazenda Monjolo. Foto: SPVS


Uma parceria entre o Instituto Purunã e a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) desenvolve uma rede de trilhas ecológicas por entre as áreas de Mata Atlântica preservada no distrito de São Luiz do Purunã, em Balsa Nova (PR). A ação busca estimular a educação para conservação da natureza e a manutenção do patrimônio natural da região em um remanescente da Floresta com Araucária, ecossistema associado ao bioma.

A primeira ação das instituições é a reestruturação da Trilha da Floresta Encantada, na Fazenda Monjolo. A área particular tem cerca de 260 hectares com 84% de cobertura florestal em diferentes estados de conservação. Segundo a técnica da SPVS, Natasha Choinski, o projeto representa um passo importante para a ampliação de uma cultura de preservação da natureza. “Já não existem florestas como as de São Luiz do Purunã. Remanescentes bem conservados de Mata Atlântica como os que encontramos na Fazenda Monjolo são raros e estão ameaçados”, diz a pesquisadora.

A Fazenda Monjolo abriga nascentes e alguns córregos. A avaliação ecológica registrou na área espécies nativas ameaçadas, como a araucária, o xaxim-bugio, a imbuia, além de uma família de bugios. “É um projeto que tenho na cabeça há anos, mas sozinho era difícil colocar em prática”, conta Roberto Kulig, proprietário da fazenda. “Com o apoio técnico da SPVS e do Instituto Purunã vai ser possível transformar a Fazenda Monjolo em um exemplo de conservação para outras propriedades”, afirma.

Os pesquisadores destacam que o trabalho feito na região também representa um importante esforço na proteção da Mata Atlântica no Paraná, por estar dentro da Área de Proteção Ambiental da Escarpa Devoniana (PR). A unidade de conservação pode perder até 70% de seu território, caso seja aprovado o Projeto de Lei 527/2016, que tramita na Assembleia Legislativa do Paraná.

Adriane Rieke, diretora-executiva do Instituto Purunã explica que a iniciativa busca inspirar outros proprietários. “Pretendemos dar visibilidade para a riqueza existente na região, ressaltando a importância da conservação e ainda permitindo que o turismo seja uma fonte de desenvolvimento sustentável”, diz Rieke.

A reestruturação das trilhas foi inspirada na experiência da SPVS com a Reserva Natural Mata do Uru (PR), na cidade da Lapa, apoiada pelo Instituto Positivo. A reserva também integra a Área de Proteção Ambiental da Escarpa Devoniana e foi pioneira em atividades de educação para a conservação da natureza e realização de pesquisas científicas.

 

 

*Com informações da Ascom da SPVS

 

 

 

Comentários

comentários