Em sua passagem pela Estação Ecológica do Taim, Edson Sorrentino foi recebido pelo Chefe da Unidade, Caio Eichenberger, com quem trocou impressões sobre a possibilidade de uso da Rota dos Farois como um corredor de fauna. Foto: Caio Eichenberger

Em sua passagem pela Estação Ecológica do Taim, Edson Sorrentino foi recebido pelo Chefe da Unidade, Caio Eichenberger, com quem trocou impressões sobre a possibilidade de uso da Rota dos Faróis como um corredor de fauna. Foto: Caio Eichenberger


A Estação Ecológica do Taim (RS), localizada no extremo sul do Brasil, é a primeira unidade de conservação a receber a Expedição Litorânea Corredor Oiapoque x Chui. Com o apoio do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), o projeto do excursionista e montanhista Edson Sorrentino percorrerá toda a costa brasileira, num trajeto que parte da Barra do Chuí no Rio Grande do Sul e segue até o Cabo Orange no Amapá, ligando as unidades de conservação entre os extremos sul e norte do país.

Para o Instituto, o objetivo da expedição é verificar as possibilidades de traçado existentes entre as unidades de conservação próximas ao litoral, com o intuito de que seja estabelecida uma trilha de longo curso em toda a costa brasileira, que também sirva de conector de fauna entre áreas núcleo.

A expedição de Edson privilegiará trilhas regionais já existentes, como a Rota dos Faróis, o Caminho das Araucárias, a Trilha Transcarioca e o Caminho da Serra do Mar. A ideia é fortalecer esses caminhos e fomentar o desenvolvimento de outros que possibilitem, no médio prazo, a ligação dessas trilhas regionais para formar uma trilha de longo curso a nível nacional: a Trilha Corredor Oaipoque x Chui.

Além de aproximar a sociedade da natureza e das unidades de conservação, o fomento e o desenvolvimento de trilhas de longo curso possibilitam a conservação da biodiversidade, uma vez que conectam as áreas naturais e possibilitam o fluxo gênico entre diferentes paisagens.

Nesta empreitada, os equipamentos utilizados pelo aventureiro são uma mochila cargueira com aproximadamente 20 kg, onde leva uma pequena barraca com cerca de 2 kg, alimentos e um fogareiro a gás. Edson Sorrentino é um experiente excursionista e montanhista que já as principais travessias clássicas do país e fora dele. Escalou o Pico da Neblina (2.995 m) em 1988, na Amazônia brasileira; o Aconcágua ( 6.962 m), em 1993, na Argentina; e, em 1996, o MontBlanc (4.808m), na França; e o Monte Kilimanjaro (5.895 m) na Tanzânia. Em 1995, realizou a volta a pé nas ilhas de Santa Catarina, no sul, e Ilhabela, em São Paulo, além de diversas caminhadas por parques nacionais, estaduais e reservas.

WhatsApp Image 2018-01-25 at 17.12.11

Após 11 dias de caminhada, num trajeto de cerca de 200 km desde ponto inicial no Chuí, Edson Sorrentino chegou à Estação Ecológica do Taim em 23 de janeiro.

 

*Caio Cavalcanti Dutra Eichenberger é Analista chefe da Estação Ecológica do Taim

 

 

Comentários

comentários