RPPN Bugios da Boa Esperança. Foto: Diego Ramos Inacio


Duas novas unidades de conservação acabam de ser criadas no estado do Rio de Janeiro: a Reserva Particular do Patrimônio Natural Bugios da Boa Esperança (RJ), com 5,65 hectares, situada em Miracema; e a Reserva Particular do Patrimônio Natural Ilan (RJ), com 50,75 hectares, localizada em Angra dos Reis. Ao todo, o estado já conta com 87 reservas particulares do patrimônio natural reconhecidas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que totalizam mais de 8000 hectares de área de Mata Atlântica protegida.

“As RPPNs são importantes instrumentos de preservação da Mata Atlântica. Esta certificação perpétua para a propriedade também contribui para a geração de emprego e renda, pois valoriza o empreendimento, incentivando o turismo, a educação ambiental e a pesquisa científica. Essas reservas particulares ainda geram mais ICMS Ecológico para o município onde estão, ou seja, um benefício que retorna para toda a população da cidade. É mais uma iniciativa sustentável que alinha a preservação do meio ambiente com o crescimento econômico do nosso estado”, afirma o presidente do Inea, Claudio Dutra.

RPPN Ilan. Foto: Henrique Seixas Barros


Neste tipo de unidade de conservação de proteção integral de propriedade privada são permitidas atividades de educação ambiental, turismo, pesquisa científica, além da proteção do bioma. As reservas particulares são criadas voluntariamente pelos proprietários e averbadas nas matrículas dos imóveis.

 

 

*Com informações da Comunicação do Inea

 

 

Comentários

comentários