Havia 100 anos que o uiraçu não era visto no Rio Grande do Sul. Foto: Dante Andres Meller


Em setembro, um visitante raro foi avistado nos céus do Parque Estadual do Turvo (RS): um exemplar de uiraçu (Morphnus guianensis). A ave é considerada a mais rara das espécies de águias florestais da região neotropical. De acordo com o biólogo que a avistou, Dante Andres Meller, os registros dessa espécie são raríssimos. O último registro da ave no Rio Grande do Sul data de 100 anos atrás.

“Como nunca houve nenhum indício de que a espécie realmente ocorresse nas matas do parque gaúcho, o uiraçu permaneceu por longo período considerado extinto no Rio Grande do Sul”, acrescenta o pesquisador. O achado fará parte da pesquisa de doutorado de Dante, que não pode divulgar mais detalhes do trabalho que desenvolve sobre a ocorrência das águias florestais.

Não é a primeira vez que se tem registro de uma ave em extinção no Parque. O fato já havia acontecido com a harpia, em junho de 2018. “Os grandes rapinantes são bioindicadores, demonstrando que temos equilíbrio ecológico no interior desta área protegida”, afirma Rafael Diel Schenkel, gestor do Parque Estadual.

Espécie é considerada a mais rara das águias florestais da região neotropical. Foto: Dante Andres Meller

 

*Com informações da SEMA-RS

 

 

 

 

 

Comentários

comentários