esec_maraca_divulgação ICMBio

Indígenas apoiarão atividades na Estação Ecológica de Maracá, em Roraima. Foto: ICMBio/Divulgação


Em fevereiro, a Estação Ecológica de Maracá (RR) iniciou a contratação de indígenas para apoiarem atividades como pesquisa, monitoramento e manutenção dentro da área protegida. A iniciativa é uma parceria entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Conselho Indígena de Roraima (CIR) e o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). O contrato de serviço é fruto do projeto Motivação e Sucesso na Gestão das Unidades de Conservação Federal que foi assinado no dia 08/02 pelos pelos auxiliares operacionais de logística, indígenas, e as entidades executoras do projeto.

A estação ecológica está localizada no município de Alto Alegre, nos arredores da comunidade indígena Boqueirão, de onde foram contratados os 3 auxiliares. Entre as atividades que serão desenvolvidas por eles está o apoio à abertura e à manutenção das unidades amostrais de monitoramento; apoio à manutenção das vias de acesso ao interior da área protegida; apoio e acompanhamento da coleta de dados do monitoramento aquático; manutenção dos acampamentos de pesquisa funcionais; e elaboração de um relatório trimestral de atividades. O objetivo é que os indígenas atuem próximos às pesquisas realizadas na estação, o que lhes permitirá unir seus conhecimentos tradicionais ao saber científico.

De acordo com o gestor da unidade, Bruno de Souza Campos, além de reforçar a equipe da área protegida, a contratação gera emprego e renda entre os indígenas. “É uma parceria que já existia e tem tudo para se fortalecer cada vez mais. O Conselho Indígena de Roraima e o ICMBio têm o mesmo objetivo, que é a conservação das áreas protegidas, seja terras indígenas ou unidades de conservação”, pontua o chefe.


*Com informações ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários