Os picos Marins e Itaguaré estão dentro da área proposta para novo Monumento Natural. Foto: Ederson Silva/WikiMedia


A imponente Serra da Mantiqueira arranca suspiros de montanhistas e ambientalistas há décadas. Foi entre as sinuosas montanhas da Mantiqueira, que cruzam os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, que a primeira área protegida do Brasil foi criada: o Parque Nacional do Itatiaia (RJ), em 1937. No intuito de reforçar a proteção da serra em sua porção paulista, a Fundação Florestal realizará uma audiência pública no dia 19/12, em Cruzeiro (SP), para debater a criação de uma nova unidade de conservação: o Monumento Natural Estadual Mantiqueira Paulista.

A área proposta compreende 14.171 hectares e abrange o contínuo de cobertura vegetal da Mantiqueira, nos municípios de Cruzeiro e Piquete. A delimitação buscou contemplar, quase que exclusivamente, ecossistemas nativos (florestas e campos de altitude), a fim de se evitarem conflitos com outros usos e ocupações do território. Da área proposta, 13.492 hectares ainda preservam remanescentes de vegetação nativa de Mata Atlântica.

Entre os atrativos turísticos já consolidados dentro da área estão o Pico Itaguaré (em Cruzeiro), o Pico dos Marins (entre os municípios de Cruzeiro e Piquete) e o Pico do Carrasco (na divisa de Piquete com Minas Gerais). O montanhismo já é uma atividade comum na região, que inclusive está na rota da Trilha Transmantiqueira, trilha de longo curso que percorre os cumes mais emblemáticos da Serra.

O traçado levantado para criação do Monumento Natural foi feito a partir de mapeamentos do Instituto Florestal de São Paulo e contou com a participação de técnicos da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) e dos municípios abrangidos. O Monumento Natural Mantiqueira Paulista está sobreposto a outras unidades de conservação, entre elas, a Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Mantiqueira, gerida no nível federal. De acordo com o Relatório Técnico que embasa a proposta de criação do monumento natural, a sobreposição com a área de proteção ambiental “oferece grande potencial de benefício mútuo: as diferenças em termos de objetivos de gestão e escala territorial gera complementaridades desejáveis – para as APA, o MoNa constitui um novo contínuo de proteção integral naquele setor; para o MoNa, parte expressiva de sua futura Zona de Amortecimento nascerá com ordenamento territorial e gestão participativa já estabelecida”, pontua o documento.

Acesse e leia a proposta de criação na íntegra (disponível aqui).


Serviço:

O que? Audiência Pública da Criação do MONA Mantiqueira Paulista
Quando? 19 de dezembro, às 17h00
Onde? Teatro Capitólio “Jorge José Santiago”, Rua Engenheiro Antonio Penido, 636, Centro, Cruzeiro – SP

 

*Com informações Fundação Florestal de SP

 

 

 

Comentários

comentários