Aplicativo é importante para a divulgação da unidade de conservação.


O estudante de Ciências da Computação da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) de Piripiri, Vinícius da Silva, produziu um aplicativo sobre o Parque Nacional de Sete Cidades (PI). Em constante atualização, o app PARNA Sete Cidades  funciona como um catálogo virtual, com informações dos pontos de visitação, preços e planos de passeio, mapas, como chegar ao parque e imagens dos locais visitados.

Segundo o seu criador, o aplicativo é um importante difusor de informações do parque. “O parque é um ótimo centro de turismo e todos precisam conhecer. O parque já tinha redes sociais, agora tem um app também. Por meio dele, as pessoas podem se interessar e saírem de suas casas para visitar o parque, independentemente da distância”, pontua.

Parque Nacional de Sete Cidades. Foto: Acervo/ICMBio


O gestor da unidade de conservação, Waldemar Justo, conta que a parceria começou quando Vinícius participou do processo seletivo aberto para a contratação de novos condutores. O jovem estudante se destacou pelo interesse em conhecer e contribuir com a unidade e mais tarde tornou-se bolsista. A boa relações entre o Parque e a UESPI levou à  uma cooperação técnica que permitiu a Vinicius a criação do aplicativo.”O aplicativo é mais ecológico, pois é melhor ter informações sobre o Parque pelo celular que em papéis, que muitas vezes as pessoas veem e jogam fora, às vezes até dentro do parque”, acrescentou Waldemar.

De acordo com o professor do curso de Ciência da Computação da Uespi de Piripiri, Vigno Moura, a cooperação técnica da Uespi com o Parque Nacional de Sete Cidades tem como objetivo auxiliar no desenvolvimento tecnológico deste. “Nós queremos fazer um parque tecnológico. Almejamos fazer um sistema de realidade aumentada com muitas informações sobre o parque. Temos o interesse, também, de colocar câmeras no espaço e uma rede interna de internet. Além disso, inserir o modelo de pagamento em cartão. O objetivo é fazer uma espécie de revolução, com o intuito de atrair mais visitantes, gerar mais renda e fazer com que o parque cresça cada vez mais”, finaliza.

 

*Com informações do Governo do Piauí

 

 

 

Comentários

comentários