Guarujaba (Terminalia acuminata). Foto: Acervo Jardim Botânico

Guarujaba (Terminalia acuminata). Foto: Acervo Jardim Botânico

Um exemplar da árvore guarajuba (Terminalia acuminata), considerada extinta na natureza, foi encontrado recentemente no Parque Estadual da Serra da Tiririca (RJ) por pesquisadores do Centro Nacional de Conservação da Flora do Jardim Botânico. A redescoberta surpreende, já que o último registro da espécie ocorreu em 1942, em Maricá, região metropolitana do Rio de Janeiro.

A guarujaba é uma espécie endêmica no estado, mas foi considerada extinta em 1998 pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN), organização que lista as espécies em extinção no mundo. Acredita-se que um dos motivos tenha sido o seu uso desenfreado na fabricação de móveis e embarcações. “As madeiras para estas finalidades precisam ser leves e de boa qualidade para que durem bastante. E a espécie tem essas características. Por isso, acreditamos que a árvore tenha sido muito extraída, chegando ao ponto de ser considerada em extinção”, afirma Caio Baez, um dos pesquisadores do Jardim Botânico.

Guarujabas também foi encontrada no Parque Estadual do Mendanha, no Parque Nacional da Tijuca e no Parque Natural Municipal da Cidade. A espécie, junto com outras 903 plantas, fará parte de um projeto cujo objetivo é a conservação da flora endêmica ameaçada de extinção. De acordo com Telmo Borges, coordenador do inventário florestal do estado do Rio de Janeiro, “a finalidade do projeto é a preservação total dessas plantas mais raras. Temos uma flora muito rica e pouco conhecida. Através disso poderemos ter mais detalhes sobre essas espécies. Não podemos deixar que desapareçam.”

Outra proposta do projeto é a criação de um aplicativo para celular com informações sobre as plantas. O acesso fácil aos dados permitirá à população reconhecê-las na natureza.

*Com informações do Extra Online

 

 

 

Comentários

comentários