Área do futuro Parque Nacional dos Campos Ferruginosos de Carajás (PA). Foto: Divulgação/ICMBio

Na sexta-feira, 17/02, o ICMBio e o Ministério do Meio Ambiente promoveram o Seminário sobre Criação de Novas Áreas Protegidas, evento que discutiu a criação de 36 novas unidades de conservação (UCs) federais ao longo do ano de 2017. “Nós temos a grande responsabilidade de cuidar da gestão e implementação das áreas protegidas federais, que somam cerca de 9% do território nacional. A ideia do seminário é debater os principais desafios e necessidades para que possamos avançar”, afirmou Ricardo Soavinski, presidente do ICMBio.

A apresentação das propostas de criação das novas unidades destacou alguns processos já em fase adiantada, como o do Parque Nacional do Boqueirão da Onça (BA), Parque Nacional dos Campos Ferruginosos de Carajás (PA), a Reserva Extrativista Baixo Rio Branco-Jauaperi (RR/AM) e o Refúgio de Vida Silvestre do Peixe Boi (PI/CE).

Os presentes no evento admitiram que os últimos anos foram tímidos no que diz respeito à criação de unidades de conservação. Para reverter este quadro, dizem, é necessário desconstruir a visão de que criar uma área protegida é abrir mão daquele território. “A sociedade precisa começar a entender que as áreas protegidas cumprem diversas funções e trazem grandes benefícios” afirmou o diretor do Departamento de Conservação de Ecossistemas da SBF/MMA, Carlos Alberto Scaramuzza, .

 

*Com informações da Comunicação ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários