Açaí, produto da Reserva Extrativista Arióca Pruanã. A Resex é uma das 66 unidades de conservação referenciadas no catálogo. Foto:Acervo/ICMBio


Com a proposta de dar visibilidade à produção e serviços originados em reservas extrativistas, florestas nacionais e reservas de desenvolvimento sustentável, o ICMBio lançou esta semana o Catálogo de Produtos da Sociobiodiversidade do Brasil. A publicação traz, ao todo, 15 produtos e serviços oriundos das populações tradicionais de 66 unidades de conservação no país, como o açaí, o babaçu, a borracha, cacau, a madeira de manejo comunitário, os recursos pesqueiros e o turismo de base comunitária. O catálogo, disponível online, pode ser acessado aqui.


A publicação traz informações como nome científico, safra, área de ocorrência, utilização mais comum, curiosidades, importância econômica, história e muito mais. O leitor também poderá encontrar uma relação completa de organizações em cada estado com contato comercial e produtos ofertados. O catálogo traz ainda um mapa ilustrativo dos produtos que podem ser encontrados em cada estado brasileiro que possui reservas extrativistas, reserva de desenvolvimento sustentável e florestas nacionais com populações tradicionais. 

“Esperamos que com as informações organizadas para o público em geral e público interessado em acessar os produtos da sociobiodiversidade, possamos diminuir as distâncias entre os produtores e consumidores, divulgar e dar visibilidade ao trabalho dessas famílias em UCs”, diz a coordenadora da Coordenação Geral de Populações Tradicionais do ICMBio, Bruna de Vita.

 

*Com informações da Comunicação ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários