Travessia inédita dá volta na ilha Fernando de Noronha


Travessia_1(wkps)
Caminhada começou nas praias da APA com os Dois Irmãos ao fundo. Foto: Duda Menegassi

Nos dias 11 e 12 de dezembro, o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (PE) realizou a Volta à Ilha, uma travessia inédita que contornou o litoral noronhense conhecido por suas paisagens paradisíacas. Dez pessoas participaram da caminhada de aproximadamente 32 quilômetros feita em comemoração aos 10 anos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) como parte do projeto “10 picos e 10 travessias”.

No grupo estava o chefe do Núcleo de Gestão Integrada de Fernando de Noronha, Felipe Mendonça, responsável pela administração conjunta do parque nacional com a Área de Proteção Ambiental (APA) de Fernando de Noronha, Rocas, São Pedro e São Paulo (PE); e o coordenador de uso público, Ricardo Araújo. Também participaram da caminhada voluntários, guias credenciados da Associação dos Condutores de Turismo (ACITUR) e um dos guardas-parques da área protegida.

O roteiro da travessia começou na Baía dos Porcos, diante dos Dois Irmãos, as formações rochosas mais famosas de Noronha. De lá, seguiu pelas praias da APA, que ocupa os 30% da ilha principal que não são parque nacional. Na ordem, os caminhantes passaram pelas areias da Cacimba do Padre, Bode, Boldró, Americano e Conceição até chegar ao Forte da Nossa Senhora dos Remédios.

Travessia_7(wkps)
Forte da Nossa Senhora dos Remédios, visual privilegiado. Foto: Duda Menegassi

O mais bem preservado dos 11 fortes da ilha, ele representa parte do passado de Fernando de Noronha: já foi presídio e ponto estratégico de defesa dos militares. As ruínas também são um excelente mirante para toda a região do “mar de dentro”, como é chamada a costa do hemisfério norte.

Camping na Baía do Sueste. Foto: Duda Menegassi
Camping na Baía do Sueste. Foto: Duda Menegassi

De lá, o grupo entrou no território do parque em direção à costa oposta, onde estão pontos turísticos como as praias do Atalaia e do Leão. O pernoite foi feito na Baía do Sueste após um dia de 17 quilômetros de caminhada. A segunda etapa da travessia percorreu trechos ainda inexplorados pelo turismo e outros abertos à visitação, como a trilha Capim-Açu. Entre os atrativos do trajeto estavam piscinas naturais, os mirantes do Farol, da Viração, da Baía dos Golfinhos e da praia do Sancho. A linha de chegada da caminhada, no Mirante dos Dois Irmãos, completou a volta na ilha diante de um dos principais cartões-postais de Noronha.

Essa foi a primeira Volta à Ilha. O traçado ainda está em estudo pelo parque que analisa a viabilidade de transformá-la em produto turístico. Segundo o gestor, o passeio pode ajudar a trazer um outro público para Noronha: os montanhistas. “É cada vez mais importante que esse ecoturista descubra Noronha como um espaço para fazer essas trilhas. E a Volta à Ilha foi sensacional para nos mostrar esse potencial e esperamos que isso vire de fato um novo produto”, contou Felipe.

Travessia_3(wkps)
Grupo que realizou a primeira Volta à Ilha. Foto: Duda Menegassi

 

 

 

Post navigation

Anterior

Próximo