Pelotão da polícia ambiental com os palmitos apreendidos. Foto: Fundação Florestal/Divulgação


Na última sexta-feira (27/04), a equipe de fiscalização do Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar (SP) realizou uma operação conjunta com o 1° Pelotão da 3ª Cia da Polícia Ambiental que resultou na apreensão de cerca de 230 palmitos-juçara extraídos ilegalmente da área protegida. Um dos indivíduos envolvidos foi preso pela equipe e confessou sua participação no crime.

O flagrante foi possível graças a uma denúncia que alertou os servidores do parque sobre a ocorrência do ilícito. A ação começou na quinta-feira de manhã quando os policiais encontraram uma haste de palmitos abandonada. O local foi monitorado e no dia seguinte a equipe surpreendeu os indivíduos que montavam acampamento. Os suspeitos fugiram deixando para trás 225 unidades de palmito “in natura”, assim como ferramentas. Apenas um dos envolvidos foi capturado e, além de preso, foi multado em R$250.000 pela extração ilegal de palmito dentro do parque estadual, mais R$ 500 por dificultar a ação do poder público. Tanto as ferramentas quanto o acampamento foram destruídos.

Os palmiteiros, como são conhecidos, responsáveis pela extração ilegal do produto é um dos principais desafios enfrentados por unidades de conservação. A palmeira-juçara (Euterpe edulis), que dá o palmito-juçara, é uma espécie nativa da Mata Atlântica e está atualmente ameaçada de extinção. Para retirar o palmito é necessário cortar – e consequentemente matar – a palmeira, o que torna a extração ilegal em áreas protegidas ainda mais nociva, pois pode dizimar localmente a espécie.

 

*Com informações Fundação Florestal de São Paulo

 

 

 

Comentários

comentários