O Atlas das Unidades de Conservação de Niterói. Foto: Duda Menegassi


Ontem (09/08), a prefeitura de Niterói realizou o lançamento do Atlas de Unidades de Conservação do município. A publicação traz informações e fotos das 9 unidades de conservação existentes na cidade que, juntas, cobrem 33% do território niteroiense. O evento foi realizado no Parque da Cidade, dentro do Parque Natural Municipal de Niterói (RJ), uma das áreas protegidas que figura no livro, ao lado de outras como o Parque Estadual da Serra da Tiririca (RJ) e a Reserva Extrativista Marinha de Itaipu (RJ).

O principal objetivo do Atlas é produzir conhecimento e conscientizar a população sobre a importância de conservar essas áreas. A elaboração do livro foi feita a muitas mãos, como conta a subsecretaria de Meio Ambiente, Amanda Jevaux, que coordenou a publicação. Além das equipes das unidades de conservação e dos pesquisadores, a sociedade civil também colaborou com o Atlas. As fotos que ilustram as 100 páginas da publicação foram todas enviadas por pessoas que participaram do concurso fotográfico organizado pela prefeitura. “Nós recebemos mais de 700 fotos”, revelou Amanda.

O Atlas será distribuído em todas as escolas municipais e nas bibliotecas de Niterói, mas também está disponível para download no site da Secretaria, neste link. O investimento em educação ambiental tem sido feito também em outras frentes, como explica Amanda: “nós temos feito também trilhas interpretativas voltadas para conscientização ambiental que mostram a importância de preservar ecossistemas específicos como manguezais e restingas”.

O secretário executivo de Niterói, Axel Grael, fala durante o evento de lançamento do Atlas. Foto: Duda Menegassi


A cerimônia contou com a presença do Secretário Executivo de Niterói, Axel Grael. Em sua fala, ele comemorou o Atlas e reforçou a importância do investimento nas áreas protegidas. “O Atlas é um ato importante, mas mais importante ainda é o que ele representa que é esse esforço da prefeitura em reconhecer e valorizar suas unidades de conservação”, pontuou o secretário. Axel ressaltou ainda a posição pioneira do município, que possui a maior proporção de áreas verdes preservadas de toda região metropolitana do estado do Rio de Janeiro, com 56% do território protegido ambientalmente, somando as unidades de conservação com as áreas de preservação permanente, de acordo com o zoneamento ambiental da cidade.

Outras duas publicações organizadas pela Secretaria de Meio Ambiente estão em andamento: um Guia Botânico, com previsão de lançamento em março, e o Guia de Trilhas de Niterói, que incluirá também as áreas insulares e está previsto apenas para agosto de 2019.

 

 

 

Comentários

comentários