José Orlando Crema em sua RPPN. Foto: Lucas Pontes

José Orlando Crema em sua reserva, RPPN Antenor Crema. Foto: Lucas Pontes

Uma iniciativa da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) com apoio da SOS Mata Atlântica, o Programa Desmatamento Evitado (PDE) identifica e cadastra proprietários de áreas naturais e faz a ponte entre eles e empresas interessadas em “adotar” as áreas financeiramente, a fim de conservá-las. Entre 2015 e o início deste ano, duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) foram criadas através deste programa no Paraná.

As  reservas são a RPPN Pedra sobre Pedra, já mencionada no WikiParques, e a RPPN Antenor Crema, em Bocaiúva do Sul, que possui 133,17 hectares. O proprietário da RPPN Antenor Crema, José Orlando Crema, pratica a conservação desde que a adquiriu, em 1978, mas foi a partir de 2007, com a adoção pelo PDE, que passou a ter aporte financeiro e técnico para conservá-la e começou a pensar na criação da RPPN. 

O Paraná possui 244 RPPNs nos âmbitos federal, estadual e municipal, somando quase 53 mil hectares. Criar uma RPPN é uma forma de garantir que a área permanecerá protegida, mantendo o direito de propriedade. O proprietário se torna isento do pagamento do Imposto Territorial Rural (ITR) referente à área e tem preferência na análise de pedidos de concessão de crédito agrícola. Além disso, pode desenvolver atividades de ecoturismo, educação ambiental e pesquisas e ainda pode firmar parcerias com instituições públicas e privadas. Isso sem contar os benefícios à sociedade que a existência de áreas conservadas gera, como regulação climática, purificação do ar, água, entre tantos outros.

Outras duas RPPN, nos municípios de Jaguariaíva e Ponta Grossa, estão em processo de criação e são apoiadas pelo PDE. 

RPPN Antenor Cerma. Foto: Lucas Pontes

RPPN Antenor Cerma. Foto: Lucas Pontes

 

*Com informações da comunicação da SPVS

 

 

 

Comentários

comentários