O parque estadual foi escolhido para sediar o evento por ser pioneiro na atividade de espeleologia no Estado de São Paulo, além de estar completando 60 anos. Foto: Ricardo Martinelli/FF

O parque estadual foi escolhido para sediar o evento por ser pioneiro na atividade de espeleologia no Estado de São Paulo, além de estar completando 60 anos. Foto: Ricardo Martinelli/FF


Como parte das comemorações dos 60 anos do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (SP), entre os dias 15 e 21/05, acontece o 21º Encontro Paulista de Espeleologia. Gratuito e aberto ao público, o evento tem como objetivo, promover a confraternização e troca de experiências entre a comunidade espeleológica. Participarão espeleólogos, guias, funcionários do parque, população local, além de turistas e interessados que queiram descobrir mais sobre cavernas e seus estudos

A programação do evento contará com minicursos, palestras e mesas redondas que abordarão assuntos diversos relacionados à espeleologia e ao parque estadual. Entre os temas estão: Técnicas de autorresgate; Oficina de arqueologia, lascamento e visitação a sítio arqueológico; Fauna de caverna e identificação; Primeiros Socorros em casos de animais peçonhentos; e Primeiros socorros em lugares isolados. Haverá também excursões às cavernas. A programação completa e as inscrições podem ser acessadas AQUI.

A unidade de conservação foi escolhida para sediar o evento por ser pioneiro na atividade de espeleologia no Estado de São Paulo, além de estar completando 60 anos. Criado em 1958, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira é um dos mais antigos do estado. Seus 35.772,5 hectares abrangem uma das províncias espeleológicas mais importantes do Brasil, com mais de 300 cavernas cadastradas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE). A formação das cavernas na região ocorre a partir das águas pluviais saturadas de ácido carbônico, provenientes dos solos ricos e férteis da mata preservada, que penetram nas fissuras rochosas e desgastam o calcário presente no solo da região, abrindo dutos e galerias, e assim originando as cavidades naturais, as cavernas calcárias.

Serão cobrados somente os minicursos e excursões, com intuito de cobrir os gastos da organização. Os participantes dos minicursos receberão certificado. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato através do(s) e-mail(s) ggeo.usp@gmail.comepeleoxxi@gmail.com ou  petar@fflorestal.sp.gov.br. Ou pelos telefones (11) 97605-0510 , (12) 99714-8821 e (15) 3552-2811, ou (15) 3552-1875.

 

*Com informações da Fundação Florestal

 

 

 

Comentários

comentários