Chaetostoma glaziovii encontrada no Parque Nacional do Itatiaia (RJ). Foto: Suzana Martins

A Lista da Flora do Parque Nacional de Itatiaia (RJ) será lançada nesta sexta-feira, dia 29/03, às 15h00, no Museu do Meio Ambiente do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A publicação é o primeiro resultado do projeto “Redescobrindo espécies ameaçadas em Unidades de Conservação da Floresta Atlântica: bases para gestão, conservação e acesso à informação”, que é uma iniciativa de pesquisadores do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e de outras 7 instituições.

Este projeto tem como objetivo criar instrumentos para apoiar a gestão de Unidades de Conservação, provendo listas atualizadas de espécies da flora e, também, refinar o conhecimento sobre as espécies que ocorrem nessas áreas e que estão classificadas pelo Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora) em alguma categoria de ameaça ou com deficiência de dados, pelos critérios da IUCN.

A Lista da Flora de Itatiaia integrará o Catálogo de Plantas das Unidades de Conservação do Brasil,  um sistema no qual listas de plantas de todas as unidade de conservação brasileiras poderão ser disponibilizadas online. Este catálogo foi desenvolvido com a colaboração de uma equipe de Tecnologia da Informação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, onde o sistema estará sediado e é um produto do mesmo projeto.

Além do JBRJ e da UFES, o projeto conta com a colaboração dos herbários da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Universidade de Vila Velha (UVV), Universidade de São Paulo (USP) e do Centro de Pesquisas do Cacau (CEPEC).

O evento de lançamento da Lista da Flora de Itatiaia contará com a presença de pesquisadores e bolsistas envolvidos no projeto e das pesquisadoras Rafaela Forzza, do JBRJ, e Tatiana Carrijo, professora da UFES e coordenadora do projeto, que apresentarão os resultados do trabalho desenvolvido.

 

*Com informações do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

 

 

 

Comentários

comentários