Uiraçu (Morphnus guianensis), ave de rapina considerada criticamente ameaçada no país, foi registrada na RPPN em março deste ano. Foto: Ivo Tomich


No início da manhã do dia 19/03, o observador de aves Ivo Tomich Marcos conseguiu fotografar uma raríssima ave de rapina nos céus da Reserva Particular do Patrimônio Natural Estação Veracel (BA): o uiraçu (Morphnus guianensis). De acordo com a plataforma WikiAves, a espécie é severamente ameaçada em vários estados no Brasil, sendo considerada criticamente ameaçada em São Paulo e Santa Catarina e regionalmente extinta no Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. Este registro foi o 5º na Bahia nos últimos 200 anos.

Observador de aves desde 2009, essa foi a primeira vez que conseguiu o registro de uma ave tão rara. “Achei que era uma harpia, mas depois a equipe da RPPN esclareceu que era o uiraçu. Foi fantástico ver uma ave tão grande e rara”, comemorou. Muito parecido com a harpia (Harpia harpyja), ave várias vezes fotografada na reserva particular, o uiraçu pode medir de 81 a 91 centímetros de comprimento.

O registro da ave foi o 5º na Bahia nos últimos 200 anos. Foto: Ivo Tomich


Segundo o ornitólogo Luciano Lima, o uiraçu é uma das aves de rapina mais raras do Brasil, mais até que a harpia. O primeiro registro da espécie foi reportado pelo naturalista e príncipe Wied-Neuwied por volta de 1817. Um segundo registro ocorreu em 1974, em Porto Seguro; e, em 1995 e 2012, em Belmonte. O uiraçu depende de grandes extensões de florestas preservadas para sobreviver. “Estes dois registros recentes demonstram que pode haver uma população dessa espécie na região, o que reforça mais uma vez a importância estratégica das unidades de conservação que protegem as florestas de tabuleiro do sul da Bahia” disse Lima.

Para o ornitólogo, o fato do registro ter sido feito por um observador de aves reforça o papel fundamental dessa atividade para o monitoramento das espécies ameaçadas no país. Em abril, foi iniciado o Observatório de Aves da RPPN Estação Veracel. Ele visa estimular a pesquisa, desenvolver a ciência cidadã e a educação ambiental, além de promover a conservação do meio ambiente. “O Observatório de Aves é um importante instrumento para o engajamento de pessoas, promovendo o conhecimento sobre as aves da região e ajudando também a despertar o interesse dos observadores de aves para o Sul da Bahia”, conclui Lima. Além de pesquisas e monitoramento de aves, o observatório promoverá cursos, oficinas, festivais, dentre outras atividades com o tema aves.

 

*Com informações da Comunicação da RPPN Estação Veracel

 

 

 

Comentários

comentários