Os percursos sinalizados com as pegadas podem ser consultados no aplicativo. Foto: Duda Menegassi


As pegadas amarelas e pretas que sinalizam as trilhas da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso agora também podem ser seguidas digitalmente. Lançado no fim de agosto, o aplicativo Passaporte de Trilhas reúne informações sobre os percursos e as unidades de conservação por onde passam esses caminhos. A base de dados do aplicativo é uma construção crescente que já conta com 436 trilhas catalogadas, em mais de 200 áreas protegidas.

Desde o lançamento o app disponível gratuitamente na plataforma Google Play (acesse aqui) já teve mais de 1.000 downloads. No aplicativo, os usuários podem ter acesso à mapas e dados como distância, nível de dificuldade, sugestões de roteiro e os atrativos do percurso.

Passaporte de Trilhas/Divulgação

De acordo com seu idealizador, o biólogo Felipe Zanusso, o Passaporte de Trilhas tem como objetivo facilitar o acesso às informações sobre esses percursos e áreas naturais, de forma gratuita e aberta. “No geral, as informações disponíveis sobre trilhas em unidades de conservação estão dispersas em sites governamentais, muitas vezes desatualizadas e de difícil acesso, o que dificulta ao caminhante acessar os dados. A proposta do aplicativo é ser uma base que organize e disponibilize esse conteúdo, incluindo imagens, e que possa ser colaborativa. Com isso estamos estimulando a visitação nas unidades de conservação e contribuindo para a valorização dos territórios protegidos”, explica Zanusso.

O biólogo acrescenta ainda que o Passaporte é uma ferramenta oficial da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, que possui 39 percursos sinalizados já cadastrados no aplicativo. “É uma plataforma que compila todas as informações atualmente existentes sobre as trilhas sinalizadas com as pegadas pretas e amarelas da Rede, além de outras Brasil afora que ainda não contam com sinalização”, detalha. Entre os percursos que já estão no app, está a Trilha Transcarioca (RJ), o Caminho de Cora Coralina (GO) e a Rota do Guarumã (PA).

Para Hugo de Castro, presidente da Associação Brasileira de Trilhas de Longo Curso, órgão que coordena nacionalmente as trilhas da Rede, “o aplicativo tem uma importante missão que é ajudar na divulgação das trilhas da Rede, de forma centralizada e em uma plataforma digital de fácil acesso. Com o aplicativo instalado fica fácil para os caminhantes encontrarem as trilhas que já estão sinalizadas e em processo de implementação em todo o Brasil. Dessa forma, as trilhas passam a existir não só no terreno e se transformam em aparelhos de recreação que contribuem para o desenvolvimento regional e funcionam como conectores de paisagem entre as unidades de conservação”.

Além do apoio dos membros da Rede e da Associação Brasileira de Trilhas de Longo Curso, o Passaporte também contou com a colaboração de parceiros como o Movimento Conservatio, que compilou informações de trilhas nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, além de estudantes de pós-graduação, servidores públicos e caminhantes nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Goiás.

Os interessados em contribuir com informações podem enviar um e-mail para passaportedetrilhas@gmail.com com os dados. “A ideia é que através de uma rede de colaboradores possamos incluir o maior número de trilhas e que essas sejam cada vez mais utilizadas pela população”, conclui Zanusso.

 

 

 

Comentários

comentários