Replantio de mudas nativas na Ilha Comprida, no MoNa Cagarras. Foto: ICMBio/Divulgação


As Ilhas Cagarras são um dos personagens cativos do horizonte das principais praias do Rio de Janeiro. O que os banhistas não conseguem ver de longe é que no Monumento Natural das Ilhas Cagarras (RJ) existe um elemento nem um pouco carioca: o capim-colonião (Megathyrsus maximus). Nativa da África, a planta é uma invasora que cresce e se espalha rapidamente. Para combater a ameaça à biodiversidade nativa, o projeto Ilhas do Rio começou a fazer a retirada da espécie, junto com o replantio de mudas da flora original.

As ações de replantio começaram em 2014 com o objetivo de recuperar a cobertura florestal das ilhas costeiras do estado do Rio de Janeiro. No dia 20 de dezembro, o palco foi a Ilha Comprida, uma das que integra o arquipélago do MoNa Cagarras. Cerca de 15 pessoas participaram da ação que atuou em uma área de 800m² e replantou 50 mudas de 6 espécies nativas diferentes. A área já havia recebido mudas na primeira fase do projeto, em 2014, hoje árvores com aproximadamente 1 metro de altura que ajudarão as novatas a crescerem.

“Além de fornecerem sombra para as novas mudas, as árvores crescidas funcionam como um poleiro natural para os pássaros, que pousam nelas, jogam insumos e sementes na terra. Com isso, nós fertilizamos o solo ao redor e trazemos os pássaros de volta, que são muito importantes para o equilíbrio do ecossistema”, explica Massimo Bovini, pesquisador responsável pelo mapeamento de toda a flora terrestre do Mona Cagarras.

De mão em mão as 50 mudas foram levadas ao local do plantio. Foto: Maurício Salles/Ilhas do Rio


Em um mês, a equipe retornará à ilha para monitoramento e a expectativa é que em quatro anos a população já possa ver o resultado. “Feito o replantio, entramos na fase do monitoramento. Acredito que em janeiro teremos ideia de quantas vingaram ou não e, dando certo, dentro de aproximadamente quatro anos, será possível ver da praia de Ipanema os pontos de mata restaurada”, avalia Massimo.

A iniciativa da recuperação da flora nativa é uma parceria do Projeto Ilhas do Rio, patrocinado pela Petrobras, com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão gestor da área protegida.

*Com informações do ICMBio

Comentários

comentários