Atol das Rocas. Foto: Arquivo ICMBio

Atol das Rocas. Foto: Arquivo ICMBio

Hoje, 02 de fevereiro, é o Dia Mundial das Áreas Úmidas. A data tem como objetivo estimular a conservação ambiental dessas áreas, que fornecem serviços ecológicos fundamentais para as espécies de fauna e flora e para o bem-estar de populações humanas, rurais e urbanas. Com a recente definição da Reserva Biológica Atol das Rocas (RN) como o mais novo sítio Ramsar pelo Comitê Permanente da Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional (Convenção de Ramsar), temos motivos para comemorar.

A Convenção de Ramsar é tratado intergovernamental com objetivo de conservação e uso racional desses ecossistemas,e todas as áreas definidas como sítios Ramsar passam a ter acesso a benefícios como cooperação técnica e apoio financeiro para promover a utilização dos recursos naturais, favorecendo a implantação de um modelo de desenvolvimento que proporcione qualidade de vida aos seus habitantes. O Atol é 13º sítio brasileiro reconhecido pela Convenção.

A Reserva Biológica Atol das Rocas é um recife semicircular, composto por esqueletos calcários de algas, corais e moluscos com uma área de 35 mil hectares (cerca de 360 km²). Localizado a 80 milhas náuticas (cerca de 130 km) do arquipélago de Fernando de Noronha, o único atol do Atlântico Sul é importante por sua alta produtividade biológica: é um dos maiores locais de reprodução da tartaruga-verde, além de ser abrigo para a tartarugas-de-pente, os atobás e as fragatas.

 

*Com informações da Comunicação ICMBio

 

 

Comentários

comentários