Visual do topo do Pico do Desengano. Foto: Samir Mansur


Após duas semanas de atividades, a equipe do Parque Estadual do Desengano (RJ) concluiu ontem (21/08) a ação de manejo e limpeza da trilha que leva ao Pico do Desengano, uma das mais frequentadas pelos visitantes. O pico é o ponto mais alto do parque, com 1.761 metros de altitude, e a trilha que leva ao cume possui 3,6 km de extensão. A operação feita pelos guarda-parques incluiu a construção de escadas, retirada de árvores caídas, sinalização rústica de madeira, interdição de trechos perigosos e o monitoramento simultâneo do trajeto.

O trabalho faz parte do Plano de Ações elaborado no início do ano para o parque estadual, que contempla o manejo das principais trilhas da unidade de conservação. De acordo com o gestor do parque, Carlos Dário, o objetivo da estruturação dos percursos é garantir a qualidade da visitação, além de incentivar as pessoas a conhecerem o Desengano. “Fazer o manejo das trilhas significa proporcionar uma visitação adequada a todos aqueles que buscam um contato com uma área natural protegida, além de facilitar o monitoramento da área e sua preservação. Um parque protegido é um parque visitado, assim como sua recíproca, criando um círculo virtuoso. Os visitantes multiplicam nossos olhos na região, pois aqueles que praticam atos ilícitos se sentem coibidos e vigiados. Proteger é cuidar”, sentencia Dário.

A trilha que leva ao Pico do Desengano é considerada de alto grau de dificuldade devido à declividade do percurso, com uma duração de subida estimada em 4 horas. Do topo é possível ver a Serra da Morumbeca e a Serra Grande, que formam a paisagem conhecida como “mar dos morros”, compondo parte do Vale do Paraíba do Sul. Em dias de boa visibilidade, pode-se avistar também a baixada litorânea. O acesso da trilha é feito pelo município de Santa Maria Madalena.

 

 

Comentários

comentários