Um dos grupos de caminhantes que participou da Travessia da Casa do Morro, trilha de 23 km no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Foto: Duda Menegassi


Neste final de semana, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT) celebrou os 10 anos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com a realização de mais uma etapa do projeto comemorativo “10 picos, 10 travessias“. No sábado pela manhã, um grupo saiu em expedição para Travessia da Casa do Morro, trilha com 23 quilômetros de extensão. No meio do caminho, no domingo, houve o encontro com um segundo grupo para então, juntos, realizarem a subida ao cume do Morro São Jerônimo, um dos pontos mais altos do parque, com 805 metros de altitude.

O evento reuniu aproximadamente 30 pessoas: servidores e voluntários da unidade; representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA), do Corpo de Bombeiros e do escritório da Procuradoria Geral Federal no Mato Grosso. Também participaram turistas locais e um dos guias credenciados do parque.

O grupo da travessia saiu no sábado de manhã da sede da unidade, próxima à cachoeira Véu de Noiva, cartão-postal da unidade. De lá, o caminho seguiu pelo Circuito de Cachoeiras, que passa por seis quedas d’água onde é possível dar um mergulho para refrescar diante do sol forte e do clima seco característico do Cerrado. O percurso do primeiro dia possui cerca de 10 quilômetros de extensão e termina na Casa do Morro, abrigo para o pernoite à 670 metros de altitude de onde é possível assistir o pôr-do-sol de camarote.

No domingo, a subida ao Morro de São Jerônimo feita com todos coroou as comemorações pelo aniversário do ICMBio. A ida e volta ao cume somaram 8 quilômetros. De volta ao abrigo, cada grupo seguiu seu percurso. A última etapa da travessia desceu pela trilha do Carretão, um tradicional trecho de 5 quilômetros utilizado pelos tropeiros .

Caminhantes posam para foto no alto do morro São Jerônimo, no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Foto: Duda Menegassi

Um dos objetivos do evento foi divulgar esses dois atrativos que ainda são pouco explorados e conhecidos pelo público. Em 2016, o parque recebeu mais de 150 mil visitantes e ocupou a 10º posição no ranking de visitação nas unidades de conservação (UCs) federais. Desses, entretanto, poucos foram os que exploraram a possibilidade de realizar uma caminhada de longa duração pela Chapada, ou mesmo de fazer a trilha que leva ao cume do Morro de São Jerônimo.

Gestora do parque há mais de quatro anos, Cíntia Brazão acompanhou a travessia e ressaltou a importância de divulgar e dar mais visibilidade à estas atividades. “A travessia e o Morro de São Jerônimo são atrativos que exigem um pouco mais do visitante em termos de caminhada, mas é legal que as pessoas entendam que existem outras opções no parque além das cachoeiras, porque com isso nós conseguimos agregar um outro público de visitação”, conta Cíntia.

Tanto para travessia quanto para realizar a trilha ao topo do Morro de São Jerônimo é necessária a contratação de um guia local credenciado. O agendamento é feito via a ferramenta online de turismo ecobooking. Ambos atrativos estão sujeitos à lotação de acordo com sua capacidade de carga. No caso da caminhada são necessários no mínimo dois dias de antecedência para reserva.

No evento foram lembrados os servidores dos órgãos ambientais que faleceram recentemente, e os integrantes do IBAMA que estavam no avião que caiu na última semana, em Roraima. Em homenagem ao trabalho que desenvolveram na luta pela conservação, foram plantados seis ipês próximos à Casa do Morro.

Foto: Duda Menegassi

Plantio de mudas de ipês em homenagem aos servidores falecidos. Foto: Duda Menegassi

 

 

 

Comentários

comentários